Prensados sobre autoritarismo, Belarus e Venezuela devem viver 2021 ‘decisivo’ • A Referência

Prensados sobre autoritarismo, Belarus e Venezuela devem viver 2021 ‘decisivo’ • A Referência

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Apesar das diferenças culturais, Belarus e Venezuela tendem a ter em comum um 2021 “decisivo”. A estimativa é do pesquisador e integrante do Conselho Europeu de Relações Exteriores, Pawel Zerka.

Segundo ele, mudanças podem ocorrer com o fortalecimento das oposições dos dois países. Com pragmatismo e desconfiança a aliados estrangeiros, os dissidentes devem se unir, pensar a longo prazo – e esquecer as diferenças.

A previsão responde ao enfraquecimento da oposição nos dois países. Enquanto a Belarus já completa mais de 120 dias de protestos após a sexta reeleição de Aleksander Lukashenko, em agosto, a Venezuela continua à sombra de Nicolás Maduro.

Manifestações contra Aleksander Lukashenko em Minsk, capital da Belarus, em agosto de 2020 (Foto: WikiCommons)

Em comum, Caracas e Minsk respondem a dissidência com agressividade. Prisões arbitrárias, execuções extrajudiciais e perseguição política são combustível à repressão e esvaziamento das ruas.

Decisões mais pragmáticas

Zerka defende decisões mais pragmáticas, como a “abertura” para conversar com o regime e aceitar compromissos políticos. “A oposição venezuelana erra ao se dividir sobre a questão de conversar com Maduro”, apontou.

“Os bielorrussos estão se saindo melhor, até agora, em falar em uníssono e aceitar a liderança de Svetlana Tsikhanouskaya. Mas eles estão apenas começando”. Assim, o fortalecimento de vínculos tem valor essencial no combate ao autoritarismo.

Um erro recente da oposição venezuelava ocorreu nas eleições parlamentares do dia 6. Sem candidatos opositores e participação eleitoral de apenas 31%, a coalizão aliada a Maduro terá, de novo, a maioria dos 227 assentos da Assembleia Nacional a partir do dia 5 de janeiro.

“A oposição bielorrussa manteve-se fortemente unida até agora. Mas com várias personalidades influentes em suas fileiras e alguns líderes de destaque ainda na prisão, Lukashenko tem amplo espaço para tentar dividir seus oponentes. Existe força na unidade”, pontuou Zerka.

FONTE ORIGINAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *