Mateus Carrieri fala sobre sexualidade e expõe relação com as filhas bissexuais

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Mateus Carrieri foi o convidado recente de Caio Fischer no YouTube e abriu o jogo sobre as experiências amorosas que teve ao longo da vida. Além disso, o ex-participante de A Fazenda, de 54 anos, falou sua relação com as filhas, que são assumidamente bissexuais.

A curiosidade sobre minha sexualidade é algo muito grande. Eu sempre tive relacionamentos heterossexuais, tive quatro casamentos. Aí eu faço um post com emoji de arco-íris e começo a pintar a unha de repente, e as pessoas falam: ‘Mateus se assumiu gay’. Acho muito engraçado isso”, pontuou o ator, que já realizou quatro ensaios fotográficos pelado para a revista G Magazine.

Solteiro, o famoso contou que um dos grandes desejos das filhas é que ele namore um homem: “Eu fiz de tudo na minha vida. Eu falo para as minhas filhas: dos 14 aos 20 anos eu tive todas as experiências que eu poderia ter. E não me arrependo. E em todas as experiências eu tive responsabilidade. Mas me entendi heterossexual sempre. Estou solteiro agora, as minhas filas falam: ‘Pai, agora você podia namorar com um homem, a gente ia adorar’. Elas iam adorar, eu sei”.

Recentemente, Mateus Carrieri falou publicamente sobre a bissexualidade das meninas, que têm 14 e 15 anos. Ele explicou porque decidiu expor o assunto:

Eu acho importante os pais apoiarem e darem amor aos seus filhos, com as opções dos seus filhos. Tem que deixar os seus filhos voarem. E a coisa da sexualidade não deve ser encarada como um desvio de caráter, como uma anormalidade, ou como uma coisa boa ou ruim. E, nessa idade que as minhas filhas estão, isso pega muito. Então, eu senti nelas a necessidade do meu apoio e do meu apoio até público. E por isso que eu falei sobre isso”.

Além disso, o artista explicou que recebeu diversos relatos de jovens que o parabenizaram pela atitude:

E muita gente falou: “Poxa, Matheus, se meu pai tivesse feito isso para mim… Como eu queria que meu pai me apoiasse do jeito que você apoia a suas filhas, como eu queria que meu pai não tivesse me botado para fora de casa porque eu sou homossexual, como eu queria não ter tomado aquela surra da minha mãe quando eu falei que gostava de uma menina ou de um menino, ou que eu gostava dos dois, ou quando eu estava confuso, ou quando eu não me aceitava com o corpo que eu sou“.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Elson BarbosaElson Barbosa

Jornalista, especialista em Comunicação Organizacional, apaixonado por café, crônicas e um bom papo. Encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo.

FONTE ORIGINAL

Recomendado Posts

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *