Eurocético Matteo Salvini desagradou base após apoio a governo pró-UE na Itália • A Referência

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O político italiano de extrema direita Matteo Salvini desagradou parte de sua base eleitoral ao econceder apoio ao novo governo do país, liderado pelo ex- presidente do BCE (Banco Central Europeu) Mario Draghi. Isso porque Salvini tornou-se célebre por sua postura eurocética e de antagonismo à UE (União Europeia).

Agora, porém, o populista teve de integrar a base em favor do novo primeiro-ministro, empossado na última quarta-feira (17). O premiê Draghi defende a permanência da Itália na zona do euro, enquanto a moeda única foi alvo de múltiplos ataques de Salvini no passado.

“Perderam a minha confiança e de outras pessoas que acreditaram no ‘Il Capitano’ [como era chamado]”, disse um eleitor italiano de 56 anos ao britânico “Financial Times”. “Vocês não têm vergonha de mudar de lado assim?”, questionou outro na internet.

O político italiano Matteo Salvini em pronunciamento no Parlamento Europeu, em Bruxelas. na Bélgica, em abril de 2017 (Foto: Divulgação/European Union)

Apesar das teorias conspiratórias que já circulam na internet sobre a mudança repentina de Salvini, analistas dizem que a opção foi uma “resposta pragmática” às mudanças do humor político na Itália.

Depois do movimento para a renúncia do ex-premiê Giuseppe Conte, em janeiro, pesquisas sugerem que mais de 80% dos eleitores apoiam o novo governo. Boa parte da população também afirma nunca ter “levado tão a sério” a agitação anti-euro da extrema-direita.

Assim, uma tentativa de oposição ao governo de Draghi poderia impor nova queda de popularidade, em uma trajetória iniciada em 2020. Na última eleição nacional, em 2018, Salvini caiu de 30% de aprovação para 20%, hoje.

Apesar do apoio a Draghi, porém, a opinião do político sobre outros tópicos permanece a mesma. Integrante de uma vertente política pós-fascista da Itália, Salvini é contra a imigração, crítico à União Europeia e conservador em questões como o casamento gay e a manutenção de uma “estrutura familiar tradicional” italiana.

Questionado sobre a permanência na zona do euro poucos dias antes da eleição do novo primeiro-ministro, Salvini afirmou que “só a morte é irreversível.”

FONTE ORIGINAL

Veja esses também

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *