Entenda o que muda com as novas regras de classificação do Plano SP – Notícias

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:


O Plano São Paulo, criado para controlar os impactos sanitários e econômicos da pandemia do coronavírus, sofreu mudanças nas regras de funcionamento nesta sexta-feira (8). As fases amarela e laranja terão ampliação de atividades, estensão de horário de funcionamento e capacidade de público. Além disso, as regras para mudanças de fases ficam mais rigorosas, segundo Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19.


De acordo com as mudanças anunciadas nesta sexta-feira, três regiões (Marília, Registro e Sorocaba) regrediram da fase amarela para a laranja e o município de Presidente Prudente, que estava na fase vermelha, de alerta, evoluiu para a laranja.


O Centro de Contingência do coronavírus permitiu a ampliação de expediente e da variedade de estabelecimentos liberados nas fases amarela e laranja. No entanto, recomendou que a população evite circular após o fechamento do comércio. Com a reclassificação das regiões, 90% da população do estado permanece na etapa amarela e 10% na laranja, de alerta com liberações.


Fase amarela e laranja


As mudanças previstas passam a valer a partir da próxima segunda (11). De acordo com o Centro de Contingência, academias, salões de beleza, restaurantes, cinemas, teatros e parques estaduais passam a poder funcionar na fase laranja. Todas as atividades liberadas podem funcionar por até oito horas diárias, e não mais apenas quatro, e a capacidade de público também sobe de 20% para 40%. Todos os estabelecimentos, porém, devem encerrar o atendimento presencial às 20h. O consumo local em bares está proibido.


A fase amarela passará a permitir 40% de ocupação presencial para todas as atividades liberadas, incluindo parques estaduais, e expediente de até dez horas diárias. O atendimento presencial terá que ser encerrado às 22h em todos os setores. Nos bares, as portas devem fechar ao público mais cedo, às 20h. Atividades não essenciais que geram aglomeração, como festas, baladas e shows continuam proibidos.


“A meta principal é evitar aglomerações e voltar a reduzir o fluxo de pessoas em horários específicos”, afirmou Patricia Ellen, a secretária de Desenvolvimento Econômico. “Precisamos reduzir aglomerações, e elas acontecem principalmente no período da noite”, disse.


Critérios de saúde


O governo do Estado endureceu a possibilidade de progressão de qualquer região novamente à fase verde, que permite a maioria das atividades não essenciais com menos restrições de horário e público. Cada região passa a precisar alcançar 30 internações por 100 mil habitantes e três mortes por cem mil habitantes nos últimos 14 dias, além de passar 28 dias seguidos na fase amarela antes de avançar.


Segundo o Centro de Contingência, os critérios de saúde na fase laranja também ficam mais rígidos. O limite máximo da taxa de ocupação de leitos de UTI para covid-19 passa de 75% para 70% em cada região. Também há mudanças nos indicadores de variação para casos, mortes e internações, com parâmetros para todas as fases do Plano São Paulo. Se a ocupação de UTIs superar 80%, poderá haver recuo para a fase vermelha, com fechamento de atividades.







Mortes e casos confirmados






De acordo com o secretário Gorinchteyn, a pandemia recrudesceu. “Tivemos um incremento nessa primeira semana em relação a última do ano de 2020 de 30% em novos casos. O número de internações tiveram um incremento de 8,2% e, por fim, um crescimento de 34% na média diária móvel de óbitos. Nesse caso, pode ter havido um retesamento dos dados por ocasião dos últimos feriados.”


As taxas de ocupação de UTI estiveram em 63,3% no Estado e na Grande São Paulo em 65,5%. Estão internadas 5.060 pessoas em UTIs e 6.796 em leitos de enfermaria.

FONTE ORIGINAL

Veja esses também

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *