Banco Itaú decide cobrar por transferências via PIX

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Desde o dia 1º de fevereiro, o Banco Itaú vem cobrando uma taxa para a realização de transferências PIX. A prática ocorre em contas de pessoas jurídicas, e o valor pode chegar até R$ 9,60. A informação está presente na Tabela Geral de Tarifas – Empresas do próprio Itaú.

O Banco Central definiu que não existe uma regra sobre a cobrança e que cada empresa deve criar sua própria estratégia. De acordo com o texto, a taxa PIX poderá ser de até 1,45% do valor pago. Cada transferência custará pelo menos R$ 1,75, podendo chegar, no máximo, a R$ 9,60.

Tabela Geral de Tarifas – Empresas do Itaú aponta cobrança via PIXFonte:  Itau 

Pessoas físicas podem ser cobradas

Implementado no final do ano passado, o PIX pode ser cobrado de pessoas jurídicas por instituições financeiras e de pagamentos, incluindo as fintechs. Vale lembrar que apenas em alguns casos as pessoas físicas poderão ser cobradas.

Segundo resolução do Banco Central, pessoas físicas, empresários individuais e MEIs podem receber uma taxa caso for constatada que a operação possui finalidade comercial.

O PIX funciona desde novembro de 2020, mas ainda não teve grande adesão dos comerciantes, pelo fato de ter apenas pagamento à vista. A partir do dia 15 de março, entra em operação o PIX Cobrança. A funcionalidade permitirá que lojistas emitam um QR Code com vencimento futuro.

FONTE ORIGINAL

Recomendado Posts

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *