As 10 raças de gatos que mais exigem cuidados específicos

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

“Vamos adotar um gatinho! Olhe que bolinha de pelo fofinha!” Ao ver uma seleção de fotos de bichanos para adoção, muitos não resistem à fofura e correm para escolher um amigo de quatro patas, acreditando erroneamente que o filhote ficará pequeno e pouco exigente para sempre. Porém, à medida que ele cresce, o dono se depara com algumas dificuldades no que diz respeito aos cuidados. Há raças que precisam usar agasalhos para não passar frio; algumas devem ser escovadas regularmente; outras se beneficiam de passeios ao ar livre.

Nós, do Incrível.club, descobrimos quais problemas inesperados os donos de gatos costumam encarar. Afinal, ter um pet significa assumir uma grande responsabilidade.

1. Sphynx (também conhecido como “gato pelado canadense”)

O sphynx é o queridinho, especialmente, entre alérgicos a pelo de gato. Mas é preciso lembrar que sua pelagem não é considerada hipoalergênica. Apesar de ter uma aparência bastante diferente, a raça é conhecida como dócil, carinhosa e fiel.

Antes de trazer um sphynx para casa, prepare-se para certas preocupações, semelhantes às que surgem com o nascimento de um novo membro da família. “Sim, todos temos problemas de saúde, tanto humanos como gatos. Mas é possível evitar muitos deles se o bichano for criado por uma pessoa responsável. Comparando com outras raças, ter um sphynx geralmente custa mais caro: além de ser propenso a doenças infecciosas nos olhos, nos dentes e nas gengivas, ele precisa de consultas anuais com um cardiologista veterinário e demanda uma dieta especial”, comentam alguns internautas em um fórum.

Além disso, o corpo desse felino transpira igual ao humano, o que também se torna uma surpresa para muitos.

  • Minha gata sempre acorda com manchas amarelas nas axilas. As dobras suam durante a noite quando ela dorme ao lado do aquecedor. Eu costumava dar banho nela todos os dias; agora, umas três vezes por semana. Às vezes, coloco um suéter nela para que ele absorva o suor. © Wahlupa / Reddit

2. Persa

Os gatos persas são muito inteligentes e apresentam um comportamento bastante pacífico e tranquilo. Para pedir alguma coisa, não miam alto, mas se sentam e esperam calmamente. Gostam de carinho e são apegados aos seus donos. Entretanto, deve-se tomar cuidado ao deixá-los com crianças pequenas, especialmente com as barulhentas. Essa raça é ótima para ter em apartamento: normalmente, não sobe nas cortinas nem rasga papéis de parede.

“Por algum motivo, minha esposa prefere essa raça de gatos. Talvez seja porque saem bem nas fotos. Conseguimos tirar fotos engraçadas e fofas para as redes sociais. Fora isso, eles dão muito trabalho e são exigentes. Quem costuma limpar o pelo é minha esposa, mas comprar ração e pagar consultas veterinárias é responsabilidade minha (e, falando honestamente, esses gastos pesam no orçamento). Além disso, eu diria que o temperamento da nossa gata está longe de ser dócil”, compartilha um internauta.

“O problema é que ela odeia abraços.”

“O gato persa é um animal lindo, carinhoso e calmo. Parece ser o animal de estimação perfeito para quem quer ter um pet de uma personalidade para lá de tranquila, que não tende a aprontar surpresas para seu dono e parece mais uma almofadinha para sofá. Uma das dificuldades principais são os cuidados com o pelo, que precisa ser escovado diariamente. Caso contrário, ele começa a cair, fica emaranhado e, em alguns casos mais graves, até se forma uma espécie de carapaça de pelos. O gato deve ser penteado desde pequeno. Além disso, o persa está predisposto a ter problemas nos olhos e lacrimejar frequentemente, o que se deve a um ducto nasolacrimal curto. Também é um animal propenso a intolerâncias alimentares e medicamentosas. Solta bastante pelo, que não apenas acaba grudando na mobília e nas roupas, mas também voando pelo ambiente. Por outro lado, isso não fica tão evidente com uma faxina regular, e seus pelos longos são mais fáceis de tirar do que os mais curtos”, conta uma usuária.

3. Birmanês

É um animal inteligente, ativo e muito bonito. Muitos proprietários também destacam que esse felino tem olhos azuis encantadores. Ele apresenta um temperamento pacífico e sociável. Antes de ter um gato dessa raça, certifique-se de que estará preparado para limpar a casa com mais frequência.

“Marshmallow está testando o cobertor recém-lavado.”

“A questão é a seguinte: nosso gato solta muito pelo. Costumamos escová-lo a cada dois dias, mas, mesmo assim, não podemos parar a queda. O veterinário disse que é um problema que passa com a idade. Nossa comida, louça, escovas de dentes, roupas (mesmo as limpas), rosto, nariz, boca — tudo está cheio de pelos. Chega a ser insuportável.”

“Essa moça fez um exame do coração e recebeu um bom relatório de seu cardiologista. Não precisa tomar remédios no momento.”

4. Angorá

Se você está procurando um amigo, essa raça é uma ótima escolha. Esse fofo é gato de apenas um dono e não suporta a solidão, então se tornará um bom companheiro para pessoas solitárias.

“Meu assistente amado.”

Esse gato é bastante ativo e requer muita atenção. Antes de acolher um, avalie sua disposição para dedicar tempo suficiente a ele.

“Tenho um angorá chamado Martin-Lúcifer. É um gato lindo de olhos azuis e de pelo branco como a neve. Ele tem problemas auditivos, mas isso não atrapalha sua vida nem um pouco! Está com a gente já há cinco anos. É querido e carinhoso apenas comigo e com minha mãe; é menos gentil com os outros, o que ele deixa claro por meio de seu comportamento. Além disso, tem o caráter de um sultão: a casa é seu terreno e nós, seus criados”, compartilha a dona de um angorá.

O risco de adotar um animal mais temperamental, com o qual é difícil encontrar uma linguagem comum, também é grande. “Tínhamos um gato dessa raça chamado Masya. Ele viveu 18 anos. Era um gato agressivo que costumava sibilar, especialmente quando via desconhecidos, e morder as pessoas. Desde então, o meu amor pelos gatos passou”.

5. Munchkin

Esses gatos fofos com o corpo de um dachshund (mais conhecido como “salsicha”) não causam praticamente nenhum problema se receberem cuidados adequados. É essencial começar a escová-los quando ainda são pequenos, dar banho neles apenas quando for necessário e monitorar a alimentação. No caso dos munchkins, a aparência engana. Apesar do comprimento das patas, são muito ágeis. “Essa raça pula e corre muito bem. Suas patinhas possuem músculos fortes, o que compensa seu comprimento. Tenho um munchkin e um gato de patas longas. O primeiro pula mais alto”, compartilha sua experiência a dona de um munchkin.

“Nossa família cresceu de repente. Um dia, meu marido me mostrou um gif engraçado com um gato dessa raça e eu fiquei muito curiosa para saber mais sobre ela. Sem sono, às 4h da madrugada, estava navegando por um site de anúncios na seção de adoção e me deparei com o nosso futuro membro da família, que estava à venda por um valor simbólico. Na noite seguinte, o gato já estava na nossa casa. Naquela época, ele tinha 2,5 anos. Os antigos donos disseram que ele mudava de casa com frequência, não pode se reproduzir e não gosta de crianças, por isso resolveram procurar um novo lar para ele. Nossa amorosa família se tornou esse lar”, conta uma internauta.

6. Gato britânico (ou gato de pelo curto inglês)

“Me tornei dona de um gato britânico há cinco anos. Não posso dizer que ele causou problemas inesperados. Passei a vida toda com animais em casa — cachorros e gatos. Meu marido e eu não fomos sua primeira família. Sua primeira dona foi a criadora, e depois o coitado passou de uma família para outra. Quando fomos buscá-lo, fui correndo para pegá-lo no colo. Ele levou um susto, mas permaneceu calmo. O filho dos antigos donos exclamou, preocupado: ’O que está fazendo? Ele pode te arranhar! Você não pode pegá-lo no colo!’ Passamos um bom tempo até nos acostumarmos um com o outro e descobrirmos como alimentá-lo. A antiga dona afirmava que ele ’comia absolutamente tudo’. Tivemos de testar várias opções de ração e de carne até o nosso ’rei’ escolher o que mais agradava seu paladar.

Antes, ele não se deixava acariciar nem pegar no colo. Demorou para se acostumar com a gente e ficar ao nosso lado, mas sem demonstrações de afeto, o que também mudou com o tempo. Talvez, o nosso segundo gato, que apareceu na nossa casa mais tarde e adora ficar no colo, tenha o influenciado. Todos os nossos amigos ficam encantados com ele, dizendo que temos o gato britânico mais carinhoso e querido.

Houve apenas uma vez em que ele resolveu mostrar seu temperamento. Depois de ter levado uma bronca do meu marido, o pestinha deixou um ’presente’ na camiseta dele na manhã seguinte. Eu apenas levava arranhões por não ser gentil o suficiente com ele, o que também já é uma coisa do passado.

Os gatos britânicos são bastante grandes por natureza e são propensos a engordar. Por isso, a questão da alimentação deve ser levada muito a sério. Sinceramente, não consigo entender o que incomodava os antigos donos. Talvez, os pelos espalhados pela casa? Se sim, concordo que penteá-lo regularmente e limpar o apartamento de suas bolas de pelos é uma tarefa entediante.”

7. Scottish fold

Essa raça é capaz de conquistar o coração de qualquer um com sua aparência, pois seus olhos grandes e orelhas dobradas fazem até um gato adulto parecer um gatinho. Esse felino se sente confortável em um apartamento, mesmo vivendo em uma família numerosa. Ele não tem medo de barulhos altos e se dá bem com crianças. Adora ganhar carinho, mas não se sente à vontade para ficar no colo.

A experiência de Tatiana é prova disso: “Os representantes dessa raça até gostam de demonstrações de afeto, mas eles que decidem quando querem pular no colo e se deixar acariciar. A rotina da nossa gata é assim: acordar, comer, pular no colo de alguém que ela escolheu, receber sua porção de carinho, assistir à TV por alguns minutos, sair e ir fazer suas coisas. Não podemos segurá-la no colo por mais tempo do que o que ela gostaria. Somente eu posso fazer carinho na barriga dela”.

“Zaya tira o abacaxi da minha sacola cada vez que o compro. Morde e chuta a fruta antes de se sentar nela!”

“Não é verdade que esses animais têm caráter angelical. Pelo menos, não todos. Varia de gato para gato. Quando o nosso Martin cresceu, virou um verdadeiro rebelde: ’caçava’ os nossos pés e rasgava o papel de parede. Começou a fazer cocô apenas no chão, embora estivesse acostumado a fazer suas necessidades na caixa de areia. Nada nos ajudou a mudar isso. Os nossos amigos que têm gatos relataram o mesmo problema: a partir de certa idade, os bichanos simplesmente se recusam a usar a caixa. Martin também não gosta de quando a gente tenta pegá-lo no colo. Precisamos esperar até que ele mesmo queira receber um carinho, o que não acontece com muita frequência. Mas, apesar de tudo, nós o amamos do jeito que ele é.”

8. Gato abissínio

Natasha vive ao lado dessa beldade ruiva há anos e não sabe o que é tédio: “Os gatos abissínios são criaturas lindas e extraordinárias, têm pelo brilhante, orelhas grandes e olhos encantadores com pequenos cílios. Os gatos dessa raça são muito ativos e requerem atenção constante. Adoram ficar perto do seu dono (embora, às vezes, seja difícil dizer quem é o dono). Para fazer carinho, é preciso ter a permissão deles.
É crucial escolher um criador responsável, pois é quem influencia o temperamento do animal.

Quanto à saúde:

  • Frequentemente sofrem de problemas nas articulações. É necessário levar isso em consideração e providenciar um revestimento do chão macio (se possível), ou seja, colocar carpetes ou tapetes. Isso reduz o risco de lesões no momento em que o bichano for pular (e pode apostar que ele adora pular);
  • São predispostos a alergias;
  • Não possuem subpelos, então não se sentem confortáveis em dias de frio. Por outro lado, é a vantagem deles: em dias quentes, não ficam com muito calor e soltam menos pelo.

Nossa gata sofre de rinite crônica, resultado da falta de cuidados adequados por parte da criadora. Portanto, é importante exigir o atestado de saúde do filhote na hora de compra.

Por natureza, esses felinos se parecem com humanos. Costumam se estressar, o que resulta em doenças. Também gostam de fazer manha. Podem morder se não gostarem de alguma coisa. Tendem a fazer de tudo para conseguir o que desejam (e sempre conseguem): dão patadas no dono quando querem comer ou se esfregam na porta até alguém abri-la.

Em geral, você se apaixona por eles à primeira vista, uma vez que são animais muito espontâneos e diferentes dos demais. Se bem que acho que qualquer dono de gato pode dizer isso sobre seu animal de estimação”.

Muitas pessoas apontam a teimosia como uma das qualidades do gato abissínio: “No início, pensei que tivéssemos acolhido um gato com defeito! Vários artigos ressaltam que não há raça mais carinhosa e obediente. Mas quando olho para nossa mocinha, penso que fomos enganados. Ela é muito temperamental. Se não quer uma coisa, nem adianta tentar persuadi-la, pois não vai dar certo. Adora brincar, nunca fica parada. É quase impossível segurá-la no colo. Infelizmente, não quer ficar quieta como outros gatos. De vez em quando, tenho a impressão de que ela não é uma gata nem um cachorro, mas uma espécie de burro! É um animal teimosíssimo!”

9. Azul russo

Esses gatos orgulhosos que parecem membros da realeza são frequentemente comparados à nobreza: obedientes, calmos, tranquilos e se comportam com dignidade. Mas, ao mesmo tempo, são independentes e gostam de mostrar quem manda. Não são exigentes nos cuidados, apenas soltam pelos. É preciso comprar ou construir um arranhador para eles com antecedência. Assim que o gatinho aparecer na sua casa, ele vai precisar afiar suas garras. Na falta de um espaço específico, os móveis e papéis de parede correm risco de serem comprometidos.

O período de adaptação pode demorar: essa raça leva muito tempo para se acostumar com coisas novas. Portanto, sente-se desconfortável com mudanças. Além disso, o dono deve se esforçar para conquistar a confiança do bichano.

“Alguém mais tem um gato azul russo que dá os melhores beijos?”

Esses animais têm um subpelo grosso e longo. Portanto, precisam ser penteados cerca de uma vez por semana e ainda mais frequentemente durante o período de muda. É uma raça muito sociável, o que confirma o relato de Anna: “Tenho um gato chamado Vasily, que adora falar e fica quieto apenas quando dorme. Julgando pelos comentários de outras pessoas que têm gatos azuis russos, percebi que essa é uma característica comum da raça”. Por outro lado, eles não gostam de barulho, por isso devem ter um lugar aconchegante para se esconder quando sentirem a necessidade. Donos barulhentos e visitas constantes podem deixar o animal estressado e arisco.

“Mei não se arrepende de nada.”

Os gatos azuis russos adoram caçar. Portanto, se você decidir ter um papagaio ou um hamster, é necessário sempre estar de olho na gaiola.

10. Gato norueguês da floresta

O gato norueguês da floresta, também chamado de gato dos vikings, se destaca por sua personalidade dócil e gentil. Essa raça se dá bem com crianças, por isso não tenha medo de deixá-los juntos. O máximo que o gato vai fazer é sair para procurar outro lugar.

Bonita e longa, sua pelagem deve ser escovada constantemente, a fim de evitar a dor de cabeça em forma de pelos emaranhados. Eles também são exigentes na alimentação. Em vez de ração, é recomendado dar preferência aos produtos naturais. A maioria das raças é intolerante à lactose, porém esses felinos podem beber leite 1–2 vezes por semana (mas não mais do que isso). Não é uma refeição completa para eles, mas uma verdadeira iguaria.

Embora se sintam confortáveis tanto em uma casa quanto em um apartamento, eles precisam se movimentar. Portanto, é importante garantir um espaço para brincadeiras e passeios, além de estimulá-los a exercitar regularmente seu corpo e seu cérebro.

“Esses monstrinhos descobriram como abrir o guarda-roupa para alcançar os brinquedos da prateleira de cima. E agora estão fingindo inocência, pegos em flagrante.”

Por ser um gato muito ativo, ele pode bagunçar a casa se não receber a devida atenção. “Eles são verdadeiros alpinistas. Possuem garras grandes e músculos de patas fortes. Tenho uma estante de livros de mais de 2 m de altura e uma escada ao lado. Não passa um dia sem que a minha gata suba a escada e ande pelas prateleiras”, comenta um dono em um fórum. Esse é o motivo pelo qual é bom ter um arranhador de vários níveis, para que o gato possa satisfazer suas necessidades.

Você tem um gato? Quais dificuldades costuma enfrentar no dia a dia? Compartilhe sua experiência nos comentários.

FONTE ORIGINAL

Recomendado Posts

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *