10 Alertas que podem indicar que você está em um relacionamento tóxico e o que fazer para superar isso

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

É difícil uma pessoa perceber que está encurralada em um relacionamento tóxico porque boa parte das vezes esses relacionamentos não começam tóxicos. Geralmente a relação tem início como qualquer outra paixão: com a sensação de borboletas no estômago, diversão e vontade irresistível de ficar junto. Mas, quando as emoções se acalmam, é possível perceber que estamos caindo no abismo tóxico de uma história que não deveria continuar. Por isso, pode ser uma boa ideia saber quais são os primeiros sinais de uma união desse tipo.

Incrível.club traz alguns sinais de alerta que podem ajudá-lo a identificar um relacionamento tóxico e ainda compartilha quais passos você pode tomar se quiser corrigir o problema.

1. Rejeitamos a nossa intuição

Começamos a perceber que algo vai mal, que algo simplesmente não se encaixa na relação, mas negamos a nossa intuição toda vez que surge esse pensamento em nossa mente. Nos convencemos de que devemos estar imaginando coisas, exagerando, e que está tudo bem.

No entanto, é muito provável que a nossa intuição esteja certa, pois essa é uma forma de inteligência subconsciente que registra e analisa cada detalhe que percebemos para nos dizer se algo está indo bem ou não.

2. Começamos a duvidar da nossa realidade

Negar a sua intuição se torna mais fácil se o seu parceiro ou parceira te induz a isso. Os psicólogos chamam essa atitude de desqualificação, ou seja, é um jeito de manipular e nos fazer duvidar da nossa razão e do nosso bom senso. Se, por exemplo, pedimos ao nosso parceiro ou parceira explicações sobre por que foi almoçar com uma amiga sem nos avisar, vai virar o jogo para nos acusar de ciumentos ou de desconfiados, porque “é apenas uma amiga da infância”. Dessa forma, vamos acabar nos defendendo das suas acusações e pensando que, talvez, estejamos sendo um pouco paranoicos.

3. Sentimos que não podemos ser nós mesmos

Se existe alguém com quem devemos nos sentir livres para sermos nós mesmos, essa pessoa é o nosso parceiro ou parceira. Ele ou ela deveria estar conosco porque gosta e nos ama do jeito que somos. Mas isso não acontece em um relacionamento tóxico. Um sinal de alerta é sentir que não podemos ser nós mesmos porque a outra pessoa nos julga constantemente, dizendo que não somos suficientemente bons, encorajando-nos a ser alguém que não somos.

4. O parceiro ou parceira sempre dá uma desculpa

A situação faz com que eles sejam sempre o centro da atenção na relação porque começam a levar em consideração quantas vezes fizeram algo por nós. Eles se lembram de todas as ocasiões em que nos deixaram felizes para usar isso como uma carta na manga para nos pressionar a dizer “sim” em situações que menos esperamos.

5. Vigiamos os nossos pensamentos

Começamos a pensar cuidadosamente sobre o que vamos dizer e fazer na sua presença para não receber um olhar de desgosto, sarcasmo ou um comportamento ofensivo. Uma pessoa abusiva é imprevisível; por isso acabamos monitorando nossa vida com frequência, caminhando na ponta dos pés e fazendo malabarismos para não incomodar o outro.

6. Em um dia, nos trata bem, no outro, mal

É muito difícil sair de um relacionamento tóxico porque geralmente a pessoa não percebe que está nele. Tendemos a imaginar que, nesse tipo de união, todos os encontros são abruptos, tristes e até perigosos. Só que, às vezes, o abusador usa a tática de tratar seu parceiro ou parceira como se fosse um membro da realeza, principalmente no início da relação.

Com isso, pessoas assim conseguem nos pegar nas suas redes. Só que, na hora de mostrar seu comportamento abusivo, nos lembramos de quanto são “bons e amorosos” e permanecemos no enredo por muito mais tempo. Mas essa dinâmica é emocionalmente desgastante e instável, pois um dia estamos em um pedestal e, no outro, nos criticam sem parar.

7. Estamos isolados de nossos entes queridos

Uma relação abusiva nada mais é do que uma tentativa de controle de uma pessoa por outra. Portanto, o sujeito precisa nos despojar de todo o nosso sistema de apoio para que não tenhamos a quem recorrer ou em quem confiar quando as coisas ficarem feias.

Se você passou a evitar ir aos almoços de família, tomar um café com a mãe ou se o seu parceiro ou parceira pediu para cancelar um passeio com os amigos, fique alerta. Quando a culpa pelo distanciamento da família e dos amigos é do parceiro ou da parceira, pode ser um plano para que ninguém mais consiga ter influência sobre a sua vida.

8. Não há desejo do parceiro ou da parceira na relação

Aqueles dias em que chegava pontualmente, deixava um bilhete no espelho ou nos cobria com uma manta se estivéssemos com frio parecem ter acabado. É claro que nosso parceiro ou parceira não está se esforçando para fazer as coisas correrem bem entre os dois ou trabalhando em planos futuros que nos incluam. Em certos momentos, até parece que a pessoa está fazendo isso deliberadamente. Se esse for o caso, alerta vermelho.

9. Impede que tenhamos sucesso

Um casal em um relacionamento saudável costuma comemorar seus sucessos, como promoções no trabalho, boas notas ou golpes de sorte. É de se esperar que um se alegre porque o outro se aproxima cada vez mais do sucesso.

Mas acontece exatamente o contrário em um relacionamento tóxico. Nosso parceiro ou parceira pode sentir ciúmes, querer diminuir nossas conquistas, grandes ou pequenas, fazer com que nos sintamos culpados por elas ou até mesmo infelizes por tê-las conseguido. Em poucas palavras, nosso sucesso incomoda o outro.

10. Damos muito, mas recebemos pouco

nível de investimento emocional que entregamos ao parceiro ou parceira é muito alto. A esse investimento emocional, devemos acrescentar todo o dinheiro e tempo que reservamos para que floresçamos como uma relação. No entanto, nossa “cara-metade” não valoriza essa entrega e não responde da mesma forma. Parece que carregamos todo o peso da relação sem ganhar nada por isso e sem ter controle sobre ela.

O que fazer se percebermos que estamos em um relacionamento tóxico

1. Fale com o seu parceiro ou parceira

É possível que a toxicidade da relação se deva a um momento ruim ou a uma doença do seu parceiro ou parceira. Se for esse o caso, seria uma boa ideia conversar e explicar o que não está funcionando e propor marcar uma consulta com um terapeuta. Mas se a situação não foi gerada por um fator externo e os padrões de comportamento abusivos continuarem, o mais saudável pode ser terminar a relação.

2. Compartilhe o problema com seus entes queridos

As pessoas precisam de uma rede de confiança para conseguir apoio em momentos difíceis e não olhar para trás. Se decidimos terminar o relacionamento, buscar a ajuda de amigos, de pais, de irmãos e de outros entes queridos que estejam cientes da situação nos proporcionará um porto seguro para recomeçar.

3. Economize algum dinheiro

Às vezes, uma pessoa abusiva controla outra porque seu parceiro ou parceira depende financeiramente dela. Economizar uma quantia em dinheiro, independentemente de quanto, pode nos fornecer um respiro econômico para retomar as rédeas de nossa vida.

4. Corte a comunicação com o seu ex

Se o relacionamento já acabou, as conversas contínuas apenas prolongarão o processo de cura e colocarão em perigo qualquer progresso em direção à independência pessoal. Se for impossível cortar totalmente a comunicação em caso de, por exemplo, o casal ter filhos ou compartilhar responsabilidades maiores, recomenda-se manter apenas as trocas de mensagens indispensáveis.

5. Recupere a sua autoestima

Compartilhar o tempo com a família, se distrair com algum hobby e fazer exercício são maneiras de recuperar a autoestima que costumávamos ter e aumentar a nossa confiança.

Para você, quais são os sinais mais sutis de uma relação tóxica? Quais conselhos daria às pessoas que estão passando por essa situação?

FONTE ORIGINAL

Recomendado Posts

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *