União Europeia questiona Amazon por “espionagem a políticos”

0
11

União Europeia questiona Amazon por “espionagem a políticos”

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Alguns membros do Parlamento Europeu (MEPs, na sigla em inglês) estão questionando a Amazon sobre atividades da companhia, que, possivelmente, envolvem a espionagem online de ativistas sindicais e políticos. Os 37 parlamentares se mostram preocupados com a possibilidade de a varejista americana estar tentando desarticular movimentos organizados entre seus funcionários.

Vagas de empregos com funções suspeitas

Desde a semana passada, os sindicatos solicitaram à Comissão Europeia a abertura de uma investigação para averiguar se o monitoramento de trabalhadores da Amazon era uma atividade legal, uma vez que a companhia disponibilizou duas vagas de serviço, nos EUA, que citavam funções de “analista de inteligência”, e se referiam a “ameaças de organizações do trabalho contra a empresa”. Além disso, os anúncios ainda exigiam experiência policial ou militar, e citavam o monitoramento de “líderes políticos hostis”.

Embora os postos de trabalho fossem para trabalhar nos EUA, suspeita-se que as atividades poderiam abranger alvos europeus, já que a fluência em francês e espanhol eram as qualificações preferidas.

Amazon é acusada de espionar grupos sindicais e políticos;Fonte:  Amazon/Reprodução 

O que mais chamou a atenção dos sindicalistas é que, logo depois que o anúncio das vagas foi veiculado pelo Vice News, a Amazon as excluiu, afirmando que os serviços não continham uma descrição precisa da função, e que, alguém havia cometido um engano.

Na carta enviada à Amazon, o grupo de MEPs foca em pontos bem específicos, com uma passagem que diz: “Estamos preocupados se os sindicatos europeus, bem como os representantes eleitos locais, nacionais ou europeus, são afetados por esta abordagem de “monitoramento de ameaças”, que visa reprimir a ação coletiva e a organização sindical”.

Amazon se defende

Enquanto isso, a varejista se defendeu das acusações de “espionagem” e postura “anti-sindical”, dizendo que ela já dispõe de “conselhos de empresa e órgãos de funcionários”.

Além disso, a empresa informou que oferece excelentes benefícios, e que, com o trabalho, funcionários ainda têm a oportunidade de se comunicar diretamente com a liderança da empresa.

FONTE ORIGINAL

0 0 vote
Deixa sua avaliação aqui
Comentários
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários