Xarope de sabugueiro: benefícios, cuidados e preparação

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O xarope de sabugueiro é um produto natural com componentes que ajudam a tratar os sintomas dos resfriados. Quais outros benefícios ele oferece? Como é preparado? Descubra!

Última atualização: 16 Fevereiro, 2021

O xarope de sabugueiro é uma preparação feita a partir do fruto desta planta. O sabugueiro (sambucus nigra) é uma árvore que tem entre quatro e cinco metros de altura. Possui folhas acastanhadas e flores verde-amareladas. O fruto é escuro, de cor arroxeada, quase preto.

Suas folhas, suas flores e seus frutos são utilizados com fins medicinais na botânica tradicional. Em particular, xarope de sabugueiro tem sido usado para tratar doenças do trato respiratório. Para que mais ele serve? Como é preparado? Continue lendo para descobrir!

Benefícios do xarope de sabugueiro

A composição química da planta, flores e frutos do sabugueiro não foi totalmente determinada até o momento. No entanto, vários nutrientes (carboidratos, proteínas, gorduras, minerais e vitaminas) e compostos foram identificados nele:

  • Alcaloides.
  • Ácido cítrico.
  • Flavonoides.
  • Polifenois.
  • Glicosídeo cianogenético (gerador de cianeto).

Em geral, o xarope de sabugueiro é usado como adjuvante para combater vários sintomas associados ao trato respiratório. Por exemplo, quando há aumento da secreção mucosa, nariz entupido, crises de asma, laringite, tosse, entre outros.

Vários estudos tentaram verificar a eficácia desta preparação para o tratamento de várias doenças. E, de fato, observou-se que pacientes com sintomas de gripe que receberam doses diárias do produto apresentaram sintomas de melhora, mesmo sem outros tipos de medicamentos.

Além disso, outros estudos sugerem que essa planta também pode ser usada como agente de apoio contra o resfriado comum. Pessoas que tiveram que fazer viagens aéreas continentais e consumiram extrato de sabugueiro tiveram uma probabilidade menor de sofrer de resfriados. Da mesma forma, a duração do mesmo, bem como a intensidade dos sintomas, foi significativamente menor.

Como se isso não bastasse, pesquisas recentes descobriram propriedades antibacterianas, antivirais, antitumorais, antilipídicas e até antidepressivas no sabugueiro.

Assim, esta planta e seus frutos têm potencial como complemento para o tratamento de diabetes, obesidade, diversas disfunções metabólicas e até mesmo problemas do sistema urinário.

Planta do sabugueiro
Na medicina tradicional, o xarope de sabugueiro é usado para tratar sintomas respiratórios.

Não deixe de ler: 3 maneiras de usar o tomilho para combater a bronquite

Precauções no consumo de xarope de sabugueiro

De acordo com o exposto, o xarope de sabugueiro parece não só ser eficiente, mas também seguro e até lucrativo no tratamento de diversas doenças. No entanto, todas estas descobertas ainda precisam ser confirmadas em estudos maiores, e os riscos e possíveis efeitos colaterais do seu uso também precisam ser avaliados.

Nesse sentido, é preciso ter cuidado ao consumir xarope de sabugueiro e não ultrapassar as doses indicadas. Doses mais altas podem ter efeitos drásticos, pois o sabugueiro também é um forte laxante, além de um poderoso diurético. Portanto, não pode ser combinado com outros produtos ou medicamentos com efeitos semelhantes.

Além disso, consumir as frutas verdes ou as flores não cozidas pode causar náuseas, vômitos e até mesmo envenenamento grave. Tanto a casca quanto as sementes e os frutos, quando verdes, contêm substâncias conhecidas como lectinas, que podem causar problemas estomacais.

Também não se deve esquecer de que os ramos, folhas, raízes e sementes são potencialmente tóxicos devido ao glicosídeo cianogenético mencionado. Em pessoas alérgicas, podem ocorrer erupções cutâneas ou problemas respiratórios após consumir um produto com sabugueiro ou entrar em contato com a planta.

O sabugueiro não é recomendado para crianças e adolescentes, mulheres grávidas ou lactantes. Embora não existam dados que garantam que seja perigoso, também não há dados que confirmem que seu consumo é seguro. Portanto, se você estiver grávida ou amamentando, evite produtos à base de sabugueiro.

Você pode se interessar: Como acelerar o alívio da gripe com sabugueiro

Preparação do xarope de sabugueiro

O xarope de sabugueiro pode ser comprado pronto; no entanto, é relativamente fácil de fazer. Devido aos efeitos discutidos na seção anterior, é essencial ter cuidado ao prepará-lo.

O ingrediente principal é o sabugueiro. Ele pode ser usado fresco ou seco. Este último é encontrado em mercados ou em lojas de produtos fitoterápicos. Já o fresco pode ser colhido no campo, desde que a planta e o fruto maduro sejam reconhecidos. Você também deve tomar precauções a este respeito, pois existem espécies de plantas semelhantes, mas que são tóxicas.

Preparo do xarope de sabugueiro
Embora o xarope de sabugueiro possa ser comprado pronto em lojas de ervas, ele também pode ser feito em casa.

Ingredientes

  • 2 xícaras de frutos (se forem secos) (400 g)
  • 4 xícaras de água (1 litro)
  • 1 xícara de mel (250 g)
  • Raiz de gengibre; pode ser em pó (20 g).
  • Canela, baunilha ou cardamomo a gosto.
  • Opcionalmente, você pode adicionar uma xícara de bebida alcoólica, como vodka, embora isso não deva ser feito se o xarope for para crianças.

Processo de preparação

  • Os frutos, o gengibre e a canela (baunilha ou cardamomo) devem ser colocados no fogo juntamente com a água, de preferência em um recipiente de cerâmica ou vidro.
  • Quando ferver, reduza o fogo e mantenha em fogo baixo por 45 minutos.
  • Retire e deixe em repouso até esfriar.
  • Em seguida, coe usando um tecido suave. O líquido resultante deve ser misturado ao mel e à bebida alcoólica, se aplicável.
  • Por fim, ele deve armazenado em um frasco de vidro esterilizado, em local fresco e seco.

Tome o xarope de sabugueiro com moderação

Alguns produtos naturais e receitas são usados ​​pela tradição sem comprovação científica. Não é o caso do xarope de sabugueiro, para o qual já foram realizadas pesquisas que reconhecem suas virtudes e propriedades.

Em qualquer caso, é um produto que deve ser usado com moderação, pois em excesso pode ter efeitos contraproducentes. Além disso, deve ser apenas um complemento para acalmar os sintomas de doenças, pois ainda não é considerado um tratamento de primeira escolha.



  • Perkins-Veazie P, Thomas AL, Byers PL, Finn CE. Fruit Composition of Elderberry (Sambucus spp.) Genotypes Grown in Oregon and Missouri, USA. Acta Hortic. 2015;1061:219-224. doi:10.17660/ActaHortic.2015.1061.24
  • Clapé O, Castillo A. Caracterización fármaco-toxicológica de la planta medicinal Sambucus nigra subsp. canadensis. Revista Cubana de Farmacia. 2011; 45(4):586-596.
  • Hawkins J, Baker C, Cherry L, Dunne E. Black elderberry (Sambucus nigra) supplementation effectively treats upper respiratory symptoms: A meta-analysis of randomized, controlled clinical trials. Complement Ther Med. 2019 Feb;42:361-365. doi: 10.1016/j.ctim.2018.12.004. Epub 2018 Dec 18. PMID: 30670267.

  • Grajales B, Botero M, Ramírez J. Características, manejo, usos y beneficios del saúco (Sambucus nigra L.) con énfasis en su implementación en sistemas silvopastoriles del Trópico Alto. Revista de Investigación Agraria y Ambiental, 2015; 6(1): 155-168.
  • Muñoz O, Montes M, Wilkomirsky T. Plantas medicinales de uso en Chile: química y farmacología. Santiago: Universidad de Chile, 2004.
  • Dellagreca, M., Fiorentino, A., Monaco, P., Previtera, L., & Simonet, A. M. (2000). Cyanogenic Glycosides from Sambucus Nigra. Natural Product Letters, 14(3), 175–182. https://doi.org/10.1080/10575630008041228
  • Ulbricht C, Basch E, Cheung L, Goldberg H, Hammerness P, Isaac R, Khalsa KP, Romm A, Rychlik I, Varghese M, Weissner W, Windsor RC, Wortley J. An evidence-based systematic review of elderberry and elderflower (Sambucus nigra) by the Natural Standard Research Collaboration. J Diet Suppl. 2014 Mar;11(1):80-120. doi: 10.3109/19390211.2013.859852. Epub 2014 Jan 10. PMID: 24409980.

FONTE ORIGINAL

Veja esses também

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *