Um passo para trás, dois passos à frente

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Entre as questões fiduciárias complicadas que a porção desta semana discute, a Torah lida com questões aparentemente simples e mundanas também. A Torah fala sobre burros. Burros pesadamente carregados que pertencem ao seu inimigo. A Torah nos diz: “Se você vir o burro de alguém que você odeia e se abster de ajudá-lo, você o ajudará repetidamente” (Êxodo 23: 5). Obviamente, a frase intercalada “e você se abstém de ajudá-lo” implora esclarecimento. Afinal, se você não deve deixar de ajudá-lo, por que mencionar isso em primeiro lugar? Rashi explica que as palavras devem ser lidas retoricamente: “Você se absteria de ajudá-lo? Como você pode permitir que um rancor pessoal tenha precedência sobre a dor do pobre animal? Certamente você deve ajudá-lo continuamente.” O Talmud (Bava Metzia 32) leva as palavras ao pé da letra e explica que, na verdade, existem certas situações em que é preciso evitar ajudar a descarregar os burros. Eu também gostaria de oferecer o versículo pelo valor de face.

Quando jovem, ouvi a seguinte história sobre o grande luminar do mussar, Rabi Yisrael Salanter. O rabino Salanter estava viajando de trem de Salant para Vilna e estava sentado em um carro fumegante segurando um charuto aceso. Um jovem o abordou gritando sobre o odor pútrido da fumaça. Outros passageiros ficaram horrorizados. Afinal, eles estavam no carro fumegante. Apesar disso, o rabino Salanter apagou o charuto e abriu a janela do trem para dissipar a fumaça. Passaram-se apenas alguns segundos antes de o jovem bater com a janela, enquanto gritava com o velho sábio por abri-la. O rabino Salanter desculpou-se profusamente com o jovem o suficiente para ser seu filho e se enterrou em um livro de leis judaico.

Ao chegar em Vilna, o jovem ficou horrorizado ao ver uma multidão de pessoas se reunindo para receber um dos rabinos mais proeminentes da Europa. O homem correu imediatamente para a casa onde o Rabino Salanter estava hospedado. Ele começou a implorar perdão. “Não se preocupe”, explicou Reb Yisrael, “uma viagem pode deixar alguém nervoso. Não tenho má vontade”. Diga-me, continuou o mestre mussar, “por que você veio para Vilna?”

O jovem explicou que estava procurando se tornar um shochet ordenado (matador), e uma aprovação de um rabino de Vilna seria universalmente aceita. O rabino Salanter sorriu. “Meu próprio genro, Reb Elya Lazer, pode ordenar você. Ele é um Rav em Vilna. Descanse e amanhã você pode fazer o teste”.

No dia seguinte, era evidente que o homem precisava de mais do que descanso, pois falhou miseravelmente. No entanto, isso não deteve o Rabino Salanter. Ele encorajou o homem a tentar novamente. Pelas próximas semanas, Rabi Yisrael providenciou tutores e preparou o jovem bem o suficiente para passar no exame estrutural de Reb Elya Lazer junto com os testes de uma série de outros rabinos de Vilna bem conhecidos. Ele até arranjou um emprego para o homem.

Antes de deixar Vilna, o homem apareceu diante de Reb Yisrael com lágrimas nos olhos. “Diga-me, Rebe”, gritou ele. “Pude entender que você poderia me perdoar por minha terrível arrogância no trem. Mas por que você me ajudou tanto? Isso, eu nunca posso entender.”

“Reb Yisrael sentou-se com ele, segurou sua mão e explicou. “É fácil dizer ‘eu te perdoo’. Mas, no fundo, como alguém realmente sabe se ainda guarda rancor? Bem no fundo do meu coração, eu realmente não tinha certeza. A única maneira de remover o rancor é agir. Quem ajuda outra pessoa desenvolve amor por quem ajudou. Ao ajudá-lo, criei um amor verdadeiro que é esmagadoramente mais poderoso do que as palavras, ‘Eu te perdoo’.”

A Torah nos diz que se você vir o burro do seu inimigo tombando de seu fardo e quiser se abster de ajudar, saiba que agora é a hora de ajudar. No minuto em que seus pés vacilam, é hora de acelerar o ritmo, dominar suas emoções e agir. A Torah entende a natureza humana muito bem. O subconsciente fala muito alto e frequentemente nos diz para darmos três passos para trás. Essa é a hora de fazer um movimento que irá curar velhas feridas e fechar feridas abertas. Bondade irresistível não só ajudará a aliviar o fardo de um burro, mas também tornará as coisas muito mais leves para você.

Tradução: Mário Moreno.

Por Rav. Mário Moreno, fundador e líder do Ministério Profético Shema Israel e da Congregação Judaico Messiânica Shema Israel na cidade de Votorantim. Escritor, autor de diversas obras, tradutor da Brit Hadasha – Novo Testamento e conferencista atuando na área de Restauração da Noiva.

*O conteúdo do texto acima é de colaboração voluntária, seu teor é de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: Sua nobre essência

FONTE ORIGINAL

Veja esses também

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *