Início ECONOMIA Ricardo Barros reclama que jornal O Globo omitiu suas respostas

Ricardo Barros reclama que jornal O Globo omitiu suas respostas

por Vitória Queiroz
0 Já viram


O deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) reclamou nesta 2ª feira (12.jul.2021) que o jornal O Globo não publicou na íntegra as respostas enviadas por ele ao veículo sobre sobre contratos de logística VTCLog/Voetur no ministério da Saúde. A declaração foi publicada em sua conta do Twitter depois de uma reportagem do jornal afirmar que a empresa faturou 70% a mais com a atuação de Barros a frente do Ministério.

O parlamentar disse que a VTC Operadora de Logística foi mantida na pasta porque o TCU (Tribunal de Contas da União) o impediu de substituí-la pelos Correios. Barros também compartilhou na publicação as respostas enviadas por ele ao O Globo.

Segundo a reportagem publicada também nesta 2ª, a empresa, responsável pelo transporte de insumos, faturou R$258 milhões durante os 2 anos em que Ricardo Barros comandou o Ministério da Saúde. As contratações com dispensa de licitação representam 98% do faturamento.

O valor representa mais de 70% do que a empresa recebeu prestando serviços nos 7 anos anteriores a presença de Barros na pasta. De acordo com o Portal da Transparência, a VTC começou a negociar com o Ministério da Saúde em 2009.

De 2009 a 2015, a empresa faturou R$ 152 milhões em contratos com a pasta. Todos os valores foram adquiridos por pregão eletrônico, segundo a reportagem.

Durante a gestão de Ricardo Barros, de maio de 2016 a março de 2018, a VTC fechou 7 contratos com o Ministério da Saúde, totalizando R$34 milhões em 2016 e R$223,5 milhões no ano seguinte.

Dos 7 contratos assinados entre a empresa e o ministério, 6 receberam licença de licitação. Após a saída de Barros da pasta em 2018, a VTC recebeu mais de R$178 milhões em contratos, dos quais R$81,7 milhões com dispensa de licitação.

Respostas

O deputado Ricardo Barros disse ao O Globo que a empresa, que na época se chamava VOETUR, já atendia ao Ministério da Saúde por meio de um contrato emergencial antes da entrada dele. Segundo o parlamentar, ele tentou contratar os Correios como concorrência, mas o TCU o impediu.

Ainda de acordo com o Barros, os contratos de dispensa foram estabelecidos em meio a um processo de centralização da gestão de logística da pasta.

No arquivo compartilhado em seu perfil do Twitter, Barros disse que a medida fez parte de um amplo processo de gestão que “reviu” contratos em todas as áreas do ministério. “Esta e outras ações geraram R$ 5 bilhões em economias”, escreveu.


Este post foi produzido pela estagiária de Jornalismo Vitória Queiroz sob a supervisão do editor Vinícius Nunes

Continuar lendo

(function(d, s, id){ var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) {return;} js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk'));


Esse conteúdo pertence ao site:

Site: /www.poder360.com.br

Para qualquer dúvida, sugestão, reclamação ou denúncias, envie um e-mail para:

contato@imoveweb.com.br

FONTE ORIGINAL

Olha essas aqui:

Deixe um Comentário

O Site iMove Web é um AGREGADOR DE CONTEÚDOS, onde buscamos por fontes seguras que permite em seus sites, o formato: RSS/FEED, como se trata de conteúdo de terceiros, prezamos por isso, e informamos no final de cada post a REAL FONTE do post, e ainda todos os posts aqui publicados, são mantidos na integra de cada autor, sem alterar um paragrafo ou link inserido na postagem, todos direitos de imagem, textos e vídeos são atribuídos ao autor original. Somos contra FAKE NEWS, caso você leitor, se depare aqui com alguma notícia FALSA ou ENGANOSA, por favor nos envie um e-mail denunciando esse post. E-mail: contato@imoveweb.com.br FECHAR

SOBRE NÓS