REVIEW I Call of Duty: Black Ops Cold War

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Call of Duty: Black Ops Cold War é um dos jogos mais completos da franquia, incluindo diversos modos que agradarão todos os tipos de jogadores.

Ficha Técnica

Desenvolvido por: Treyarch e Raven Software
Publicado por: Activision
Gênero: Tiro em primeira pessoa
Série: Call of Duty
Lançamento: 19 de novembro de 2020
Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 18 anos
Modos: Singleplayer e Multiplayer
Disponível para: PS5, PS4, Xbox Series, Xbox One e PC

 

Existe um certo receio por parte da redação em escrever sobre uma série de renome como Call of Duty. Afinal, é uma franquia que já consta com muitos títulos e prestar uma opinião sobre seu conteúdo, requer coragem e até mesmo um certo conhecimento histórico. Não vamos nos ater a uma opinião régia sobre essa última parte, pois nosso objetivo não é opinar sobre política e sim dar uma opinião sobre o jogo no geral, certo?

O Teoria Geek vai te apresentar, diretamente do PlayStation 5, um dos maiores títulos lançados junto ao console da Sony, desenvolvido em conjunto entre Treyarch e Raven Software e publicado pela Activision. Motivo? Então vamos lá!

Campanha – A Guerra Fria

Cold War nos trás uma campanha singleplayer muito atrativa, utilizando como tema a “pasmem” guerra fria. Ou seja, os eventos ocorrem no início dos anos 80 e nos trazem alguns locais e personagens históricos, que dão uma experiência pra lá de gratificante. Muitos países e locais nos chamam a atenção como Vietnã, Turquia e até a sede da KGB soviética.

Um dos pontos fortes de COD sempre foi sua história, lógico que alguns possuem uma história extremamente fictícia. Porém, quando a Activision resolve criar algo sério, meus amigos(as), é sucesso na certa. O novo título nos trás uma narrativa emocionante, divertida e com algumas reviravoltas surpreendentes.

Call of Duty: Black Ops Cold War Wallpapers - PlayStation Universe
Cold War dá as boas vindas ao PlayStation 5 com surrealismo ao extremo (Foto: Reprodução/Activision)

Seu personagem é criado escolhendo não só o gênero, nome, local onde já trabalhou, como também alguns aspectos psicológicos que irão compor suas habilidades. Você pode então escolher traços que realmente se encaixam no seu perfil como pessoa, ou optar de acordo com as habilidades que irão surgir para facilitar sua campanha.

Não importando o que você escolher, seu codinome será “Bell”, uma agente que fará parte de uma equipe com o objetivo de deter Perseus e entre outras palavras, salvar o mundo de uma catástrofe iminente.

Entretanto, alguns aspectos de Call of Duty: Black Ops Cold War chamam muito nossa atenção. Não mais nos aventuraremos pelos mapas matando tudo que vemos pela frente, essas partes existirão é claro, e em quantidades satisfatórias. Mas, agora também contaremos com missões que exigem furtividade e até mesmo, estratégia. Pois é, em algumas partes seremos verdadeiros espiões, nos infiltrando em determinados locais, sem fazer alarde ou sermos descobertos.

Já em outros locais, poderemos escolher como agir usando planos estratégicos. Na base da união soviética por exemplo, você precisará executar um certo objetivo. E olhando pelo mapa, poderá ver que existem algumas formas diferentes de chegar até ele.

Call of Duty Black Ops Cold War
Planejamento é a base de uma boa infiltração! (Foto: Reprodução/Activision)

O único problema, se é que podemos chamar de problema, é a campanha ser curta. Com variância entre 5-10 horas, é possível conhecer o desfecho da história. Mas para aumentar um pouco o fator replay, existem finais diferentes que poderão estender ainda mais a experiência daquele pessoal que prefere o bom e velho, singleplayer.

O título consta com uma boa dose de dificuldades, assim o jogador poderá adaptar a aventura de acordo com suas capacidades. Vale também ressaltar que a Activion também propicia algumas opções de acessibilidade que ajudarão a tornar a experiência satisfatória para um maior número de pessoas.

As cenas cinematográficas acompanhadas com os gráficos da nova geração, já são um oásis para as nossas vistas. Não temos ainda uma coleção alta de jogos para equiparar, mas dirigir um helicóptero em meio a cachoeiras e montanhas, enquanto você destrói bases inimigas, é o caos mais belo que já vimos até agora.

O mesmo pode ser dito da sonoplastia, tudo se encaixa e proporciona adrenalina na hora certa. Totalmente localizado em PT-BR, as vozes que dão vida aos personagens são marcantes e impressionam.

“bell busca salvar o mundo de uma catástrofe iminente”

Multiplayer

Como se já não bastasse um eletrizante modo história, a Activision acertou em cheio em manter os olhos e a interação entre os jogadores para o Multiplayer. Trouxe o básico da franquia que já vimos em títulos anteriores como Modern Warfare, e o retorno do aclamado Modo Zumbis, mas esse em específico falaremos mais tarde.

Um dos pontos cruciais do Multiplayer é a chegada do Crossplay, mas o que seria isso? Se você por exemplo adquiriu um PlayStation 5 mas seu amiguinho(a) não, fique tranquilo, pois as partidas podem ser jogadas entre diferentes plataformas. Ou seja, ninguém cortará os laços só porque mudou de geração, as amizades ficam. O circo está armado, junte sua equipe e comece a chacina entre a Otan e o Pacto de Varsóvia!

Mata-Mata em Equipe, Zona de Conflito, Dominação, Baixa Confirmada, Escolta Vip, Controle, Contra Todos, Localizar e Destruir, Voadora, Enfrentamento, Bomba Suja: Esquadrão, entre outros, esses são os modos que você jogador encontrará para se divertir no online com seus amigos, ao todo 14 modos diferentes combinados entre os mesmos. Momentos pra lá de divertidos, que mesmo com os problemas encontrados de alguns dos erros tradicionais como erros de conexão, não tiram a diversão que é estar em uma chacina.

“O circo está armado, junte sua equipe e comece a chacina”

Cold War
Melhorias de armas, medalhas, desafios e muito mais! (Foto: Reprodução/Lucas Menegheti)

Zumbis

Divididos entre Die Maschine, Chacina, Dead Ops Arcade, No Máximo, o Modo Zumbis retorna trazendo a nostalgia que os fãs sempre tiveram.

Die Maschine por sua vez, é uma subcategoria do Modo Zumbis que o jogador terá de enfrentar uma horda de mortos-vivos que ameaça toda a humanidade. São portões dimensionais que se abrem conforme for progredindo por meio dos rounds, onde a missão principal é investigar a base nazista abandonada no centro de todo esse caos. O jogador pode melhorar suas armas, adquirir granadas, torretas, apoio aéreo, tudo o que for necessário para auxiliar na sua sobrevivência. Tudo isso em primeira pessoa, subdivididos entre “Sem Fim” e “20 rodadas” com 1 até 4 jogadores.

Em Chacina, os jogadores serão testados ao limite. Infelizmente, com 1 até 2 jogadores, com crossplay desativado, o jogador terá de enfrentar uma horda de mortos-vivos enquanto um Éter Negro realiza o reconhecimento da área, ou seja, com infinitas hordas até a sua morte.

Ah, o Dead Ops Arcade! O lugar onde realmente vai dividir os meninos dos homens, e as meninas das mulheres. Motivo? Bom, você só tem três vidas e terá de enfrentar 64 rounds de mortos-vivos com sua arma padrão, com 1 até 4 jogadores, mas claro se encontrar alguma arma pelo caminho servirá de grande ajuda, e no final uma “luta” contra a Momaback, uma gorila chefe extremamente difícil e que separa a grande maioria dos jogadores de conquistar o troféu de platina. A diferença para os demais modos é que em vez de ser em primeira pessoa, a câmera vista pelo jogador será de cima, tipo Dead Nation.

E por fim, não menos importante, No Máximo, modo esse que ao matar um morto-vivo começará uma contagem regressiva. Se o tempo acabar antes de o jogador obter mais uma baixa, game over. No Máximo pode ser jogado com 1 até 4 jogadores.

“o retorno do modo mais aclamado pelos fãs da saga call of duty”

Cold War
Teste suas habilidades e enfrente infinitas hordas de mortos-vivos (Foto: Reprodução/Activision)

Call of Duty: Black Ops Cold War, vale a pena?

Um veredito que todos queremos saber, então vamos aos principais pontos. Call of Duty: Black Ops Cold War tem três versões diferentes na PlayStation Store, variando entre Edição Padrão, custando R$279,90. Para aqueles que adquirirem a versão PlayStation 4, a do PlayStation 5 oferece um upgrade gratuito, a menos que compre Pacote Multi-geração, custando R$319,90, e por fim, Edição Definitiva, custando R$393,50, que dá o acesso a todas as futuras dlcs – Os preços da Microsoft não sofrem muita variação, contudo a Battle.net oferece preços menores para PC. Vale ressaltar que mesmo após certas promessas feitas pela Activision, o jogo só chegou em mídia física para o Xbox One, deixando todas as outras prateleiras órfãs aqui no Brasil ou a mercê de preços abusivos de importação.

A essência de um bom Call of Duty que é mostrar um ritmo frenético, uma história cativante, Black Ops Cold War honra suas raízes oferecendo um ponto crucial para os holofotes dos fãs, a nostalgia e a diversão. É mais um capítulo do décimo sétimo título de uma das franquias de tiro mais adorada pela comunidade que abre a nova geração colocando todo seu poder.

Caro leitor, se a sua intenção é buscar jogos de tiro, com uma pitada de adrenalina, e sobreviver à inúmeras hordas contra mortos-vivos, o título vale sim o seu investimento.

selo teoria geek verde 9

*A elaboração dessa análise foi feita em conjunto com a redatora chefe da Seção de Games do Teoria Geek, a Ígara Ferreira*



Post Views:
8

FONTE ORIGINAL

Veja esses também

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *