Precisamos de um partido diferente



Palestra em evento organizado por membros do Partido NOVO/SP, onde falo do cenário econômico e político do país, e da extrema necessidade de ter algum partido que abrace bandeiras mais liberais para colocar o Brasil nos eixos.
Rodrigo Constantino
https://www.youtubepp.com/watch?v=-_CU7hpodbg

FONTE ORIGINAL DO VÍDEO

O que você achou desse post?
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0
+1
0

36 comentários em “Precisamos de um partido diferente”

  1. Meu dever de cidadão me leva a "abrir os olhos" para esse Partido Novo. O seu guru econômico defende o fim do salário mínimo, de vários direitos trabalhistas, do bolsa família, dos hospitais públicos e das escolas públicas. Pesquisem no google : Rodrigo Constantino e esses temas. Será a república dos banqueiros

    Responder
  2. "Ele defende o fim das escolas públicas (…)". A escola pública está anos-luz de distância de promover algo intensamente útil para Nação (temos: semi-analfabetismo as alturas, administração por interesses políticos, greves, vandalismos, ..), não seria má ideia acabar com essa enganação política, entretanto a população, que tenham filhos que queiram estudar, deveria ter condições para comprar a sua educação no meio menos ruim que é setor privado.

    Responder
  3. No final do vídeo ele coloca como uma das proposta de voucher para a educação, ou seja, o fim das escolas públicas. E ele vai além e diz que algumas propostas hj são impopulares mas mais tarde podem ser "entubadas". Imaginem o que devem ser !!! E para finalizar, ele cita no início Fábio Barbosa, ex presidente da Febraban. Não tenho a menor dúvida : Partido Novo é o partido dos banqueiros, e dos que recebem o bolsa-copom

    Responder
  4. Os beneficiários do bolsa-copom(o guru econômico do Partido Novo inclusive) reclamaram quando a Dilma reduziu os juros dos bancos públicos (que mantém uma inadimplência baixa e os lucros aumentaram). O Constantino defende um aumento maior de juros (ele trabalha no mercado financeiro e é beneficiário do bolsa-copom). Se informe melhor porque os beneficiários do bolsa-copom não estão satisfeitos com os juros brasileiros.

    Responder
  5. Este Partido deverá ter em seu estatuto mecanismos de combate a corrupção interna, para evitar a criação de figuras doentes como no caso do PT, que em seu quadro te pessoas julgadas pelo STF e mesmo assim segue do lado destes

    Responder
  6. Não adianta querer inventar melhorias no ensino, uma vez que a "cultura" do não querer estudar impera na rede pública. Esses investimentos serão usados apenas como forma de divulgação de pseudo-estatísticas de qualidade da educação. Nem as melhores escolas do mundo resolve esse problema do desinteresse pelo o estudo. Eu também não me surpreenderia se até mesmo os professores dessas instituições estiverem na estatística dos analfabetos funcionais.

    Responder
  7. Eu iria até mais longe, Alexandre. Quase todos os setores públicos deixam a desejar. O que realmente seria menos injusto é gastar dinheiro público com pessoas que estejam dispostas a estudar. Para que dar acesso à educação para o pobre que só vai à escola depredar e desestimular outros alunos e seus professores? Acabando com a escola pública haveria mais interesse de empresas em investir nessa área e, consequentemente, os preços despencariam. Vale a proposta de garantir educação para quem quer.

    Responder
  8. Vc acredita realmente que uma escola privada de qualidade investiria no interior do Norte ou Nordeste ? Numa cidade pequena ? Ou dentro de uma favela carioca ? Realmente vc acredita nisso ? A irresponsabilidade dessa proposta de privatizar o ensino é de um absurdo sem tamanho

    Responder
  9. Absurdo é fazer a sociedade acreditar que o sistema de ensino público tem jeito e o Brasil se tornará uma grande potência com pensamentos estadista, onde as pessoas costumam chegar à importantes cargos só por coleguismo político. Não existe sociedade justa e perfeita. Se políticos realmente estivessem interessados no crescimento do país, procuraria incentivos de empresas que pudessem investir em tecnologia, e não em Universidades que forma analfabetos funcionais. Escola é para quem quer estudar.

    Responder
  10. Não concordo com tudo que o Constantino diz, entretanto sou a favor de menos estado na nossa sociedade. E você realmente acredita mesmo que existe ENSINO, no sentido total da palavra, nas comunidades pobres, nunca passou pela sua cabeça que escola e hospitais públicos são mentiras do estado?

    Responder
  11. O Brasil precisa de um partido liberal – embora acho difícil ganhar já que os brasileiros em geral têm uma mentalidade socialista aprendida em sua mais tenra idade – a constituição é socialista e dessa forma as decisões de um eventual partido liberal seriam tidas como inconstitucionais ou o partido liberal ficaria hibrido com a social democracia. Antes de se criar um partido seriam necessárias mudanças constitucionais.

    Responder
  12. Vc não respondeu a pergunta mas vamos lá. O ensino público no Brasil está ruim mas acreditar que a solução virá da iniciativa privada indo a regiões distantes ou nas periferias das cidades é muita ingenuidade. A solução é a população cobrar os políticos uma escola pública de qualidade. E escola pública de qualidade existe em diversos países (engraçado que a privatização das escolas não é utilizada em 99,9% dos países)

    Responder
  13. A solução é o brasileiro votar em políticos comprometidos em melhorar a saúde e a educação pública nesse país e não acreditar em soluções fáceis e demagogia como achar que o simples uso de voucher para o uso em escola e hospitais resolveriam o problema. Se essa é a solução porque países desenvolvidos não usam voucher ?

    Responder
  14. Importante avisar que o guru econômico do Partido Novo é favorável ao fim do salário mínimo, dos hospitais públicos, da escola pública, de diversos direitos trabalhistas e do bolsa família. Espero que as pessoas saibam em que propostas elas estão votando ! Só lembrando que a bolsa copom equivale a todo orçamento da saúde e o Constantino reclama que os BC deveria aumentar ainda mais os juros. Quero lembrar que banqueiros estão por trás desse partido e o Constantino trabalha no mercado financeiro

    Responder
  15. Nunca é bom lembrar que o problema não é só estatal. Como eu já escrevi: a cultura do não querer aprender, o vandalismos e a desestruturação das famílias são forças que também enfraquecem o processo de chegada para um ensino de qualidade.

    Responder
  16. Não existem estes políticos no Brasil. A política brasileira se baseia em troca de favores, ou apenas querer o poder pelo poder. Se quer salvadores para a situação da educação Brasileira, sugiro que procure nos livros utópicos de Paulo Freire e Libâneo; mas vai ficar só na teoria, claro.

    Responder
  17. Ruim é eufemismo. Não existem estes políticos no Brasil. A política brasileira se baseia em troca de favores, ou apenas querer o poder pelo poder. Se quer salvadores para a situação da educação Brasileira, sugiro que procure nos livros utópicos de Paulo Freire e Libâneo; mas vai ficar só em teoria, claro. Onde você tirou esse dado: "(…) 99,9% dos países"?

    Responder
  18. O guru econômico do Partido Novo (Rodrigo Constantino) acaba de defender em seu blog o golpe militar de 1964. Se critica o PT por defender a ditadura cubana. Mas e o Constantino que defende a ditadura militar ? E que moral ele tem de falar em posar de democrata ? E o Partido Novo ? Está de acordo com o RC e defende o golpe de 64 ?

    Responder
  19. Até mesmo o pessoal anistiado diz dar graças a Deus por terem perdido a guerra, pois eles mesmos agora vêem que estavam totalmente errados e elogiam os militares. Basta ver os registros da Comissão da Verdade….
    Rodrigo, continue falando a verdade! Mostre para o pessoal a lavagem cerebral que passaram em todos os brasileiros!

    Meus Parabéns Rodrigo Constantino!!!!!

    Responder
  20. Constantino precisamos ser práticos. Temos que ser homens e mulheres suficientemente corajosos para por em prática nossas idéias liberais. E infelizmente ou felizmente somente pela via politico-partidária é possível. Estado Mínimo (saúde, educação, infraestrutura e segurança pública) e respeito às instituições é o básico do básico para começar. Então que criemos ou ressuscitemos o Partido Liberal, mas com ideologia liberal de verdade. Não essa "coisa" de Centro-Esquerda que existe no Brasil. É isso. Tens coragem de começar?

    Responder

Deixe um comentário

ACHADINHOS BARATOS

Esse post pertence a esse canal