TECNOLOGIA

Pfizer investe em pílula para tratamento de Covid-19

Por mais que o foco seja nas vacinas, a Pfizer está testando uma pílula para tratar a doença que desencadeou a pandemia global. Os resultados são preliminares de tratar a Covid-19 através de uma pílula, porém, a abordagem é promissora e tem como alvo direto o próprio vírus.

Isso porque muitas das doenças associadas ao coronavírus são pela intensa resposta inflamatória e imunológica com uma infecção. Os tratamentos bem-sucedidos até agora focam na resposta imunológica.

publicidade

O vírus como a Covid-19 possivelmente entram na célula hospedeira para se reproduzir. Sendo que uma vez dentro da célula, o SARS-CoV-2 remove o revestimento externo e libera seu RNA viral. Isso funciona como um modelo, o qual permite que o vírus se replique e infecte outras células. 

Então, um medicamento que pudesse atingir efetivamente e impedir a replicação do vírus pode ser benéfico. Os inibidores de protease são utilizados para tratar outras infecções virais, como HIV.

Os cientistas propuseram um medicamento antiviral desenvolvido para tratar ebola, o remdesevir, que retarda a capacidade do vírus de replicar seu RNA. Os primeiros relatórios fizeram com que a Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos aprovasse o medicamento para uso emergencial. 

Leia também!

Por outro lado, os resultados de ensaios clínicos randomizados em pacientes hospitalizados com Covid-19 grave foram decepcionantes. Agora, a Pfizer/ BioNtech está levando dois medicamentos para ensaios clínicos para Covid-19: 

  1. PF-07304814: injeção intravenosa para uso em pacientes hospitalizados com Covid-19 grave;
  2.  PF-07321332: agente oral ou pílula, que poderia ser usado anteriormente na doença. 

Em março, começou os testes de fase 1 em que selecionaram voluntários saudáveis ​​e usaram diferentes doses dos medicamentos. Ademais, verificam se as drogas provocaram respostas suficientes no corpo para indicar que podem ser eficazes contra o vírus da Covid-19.

Depois, a próxima etapa seria os ensaios de fase 2 ou 3 e normalmente, esse processo leva anos, só que como a pandemia continua a prevalecer globalmente, a Pfizer disse que fará isso em questão de meses, caso os testes de fase 1 forem favoráveis.

Os resultados ainda são preliminares, porém, os agentes da Pfizer/BioNtech são promissores. Eles podem ser usados ​​no início da doença, especialmente em pessoas mal protegidas pela vacinação ou naquelas que não foram vacinadas.

Inclusive, podem ser usados ​​como meio de prevenção, para conter surtos em pessoas expostas. O objetivo é ser eficaz contra todas as variantes do SARS-CoV-2 preocupantes.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!



Esse conteúdo pertence ao site:

Site: https://olhardigital.com.br/

Para qualquer dúvida, sugestão, reclamação ou denúncias, envie um e-mail para:

contato@imoveweb.com.br

FONTE ORIGINAL

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Para continuar navegando nesse site, DESATIVE o seu sistema de bloqueio de propagandas, o nosso site se mantêm com elas, porém nada de abuso na exibição, prometo que sua navegação será LIVRE sem incômodos. Obrigado pela visita :)