“Permaneci firme em minha fé cristã”, diz jovem torturada para se converter ao Islã

0
11

“Permaneci firme em minha fé cristã”, diz jovem torturada para se converter ao Islã

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Em 8 de setembro, Mehwish Hidayat, uma cristã de 22 anos, se reuniu com sua família depois de passar três meses em cativeiro. Em junho, Khurram Shehzad, um muçulmano, sequestrou Hidayat enquanto ela viajava para seu trabalho em uma fábrica de roupas em Lahore, Paquistão.

De acordo com Hidayat, Shehzad e vários outros homens armados a sequestraram enquanto ela esperava o ônibus em 3 de junho.

“Eram cerca de 7h30 da manhã quando saí para a fábrica de roupas”, disse Hidayat ao International Christian Concern (ICC). “Eu estava esperando meu ônibus com seis a oito meninas. De repente, dois homens armados apareceram de um carro branco. Eles mostraram suas armas e avisaram a todos para não interferirem.”

“Os sequestradores então me arrastaram para dentro do carro”, continuou Hidayat. “Todas as outras garotas começaram a gritar, mas nenhuma delas estava em posição de me salvar enquanto os sequestradores as ameaçavam com suas armas.”

Três meses de cativeiro

Pelos próximos três meses, Shehzad manteve Hidayat sob sua custódia. Para justificar esse cativeiro, Shehzad afirmou fraudulentamente que Hidayat havia se convertido ao Islã e se casado com ele.

“Por três meses, Shehzad continuou mudando de uma cidade para outra e me agrediu sexualmente”, disse Hidayat ao ICC. “Muitas vezes ele me torturou por me recusar a assinar a certidão de conversão e de casamento. Ele me forçou a recitar proclamações islâmicas e versos. No entanto, permaneci firme em minha fé cristã.”

Em junho, Hidayat foi apresentado a um tribunal para fazer uma declaração sobre o casamento e a conversão. Sob ameaça, Hidayat deu testemunho contaminado em apoio a Shehzad.

“Minha declaração no tribunal foi a favor do meu sequestrador, no entanto, eu fiz essa declaração para salvar minha família e me proteger”, explicou Hidayat ao ICC. “Shehzad ameaçou a mim e à minha família com ameaças de morte se eu fosse contra a vontade dele.”

Depois de três meses sob custódia de Shehzad, Hidayat aproveitou a oportunidade para escapar. Ela fugiu de Shehzad e se reuniu com sua família em Lahore.

“Eu escapei da custódia de Shehzad e me juntei à minha família”, disse Hidayat ao ICC. “Porém, nossas vidas sempre estarão em perigo. Minha família está continuamente recebendo ameaças de Shehzad.”

De acordo com um estudo do Movimento pela Solidariedade e Paz no Paquistão, cerca de 1.000 mulheres cristãs e hindus são sequestradas, casadas e convertidas à força ao islamismo todos os anos. As agressões sexuais e os casamentos fraudulentos são usados ​​pelos perpetradores para prender as vítimas e as autoridades são frequentemente cúmplices.

A questão da religião também é frequentemente inserida em casos de agressão sexual para colocar vítimas de comunidades religiosas minoritárias em desvantagem. Jogando com preconceitos religiosos, os perpetradores sabem que podem encobrir e justificar seus crimes introduzindo um elemento de religião.

FONTE ORIGINAL

0 0 vote
Deixa sua avaliação aqui
Comentários
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários