Os últimos dias de liberdade de Jimmy Lai, o bilionário de Hong Kong que desafiou a China



Jimmy Lai se considera desde sempre um “rebelde”. O bilionário é dono do tabloide Apple Daily, o jornal oposicionista de Hong Kong que esteve ao lado do movimento de protestos que tomou a cidade a partir de 2019.

Lai é um dos críticos mais vorazes do regime chinês, e sua liberdade passou a ser cada vez mais ameaçada conforme a China continental apertava o cerco – e aumentava o controle – e sobre Hong Kong.

Em agosto de 2020, ele foi preso sob a nova lei de segurança nacional em vigência no território.

Mas Lai não se sente intimidado. Ele acredita que agora é a hora de dar tudo pela cidade que ama.

O repórter da BBC Danny Vincent teve acesso sem precedentes a Jimmy Lai. Nesta reportagem especial, ele mostra os últimos dias de liberdade do bilionário antes de ser preso novamente – e desta vez, sem previsão de ser solto.

Curtiu? Inscreva-se no canal da BBC News Brasil! E se quiser ler mais notícias, clique aqui: www.bbc.com/portuguese

#BBCNewsBrasil #China #HongKong
BBC News Brasil
https://www.youtubepp.com/watch?v=OOQXwFGsdGg

FONTE ORIGINAL DO VÍDEO

37 comentários em “Os últimos dias de liberdade de Jimmy Lai, o bilionário de Hong Kong que desafiou a China”

  1. Parabéns china isso mostra quê a lei é válida pra todos,,,enquanto aqui no Brasil o neto do tranquedo neves roubou quase um bi em minas e ainda consegue ser deputado federal.

    Responder
  2. BBC sendo tendenciosa. Só não explicou por quais motivos ele foi preso. Esse cara usava seu jornal para divulgar notícias fake e mentirosa. Ficou rico sonegando imposto. Lá é igual no EUA e na Europa.

    Responder
  3. É difícil opinar daqui. Jovens na rua não significa nada, aqui no Brasil vemos como eles vão para as ruas por emoção, sem nem saber direito o que reivindicam. Ele defende uma pensamento ocidental? Deste ocidente de abismos entre as classes, em que o rico pode tudo e o pobre não recebe nem o que promete o art. 5º (no caso do Brasil) e não tem tempo nem para pensar?

    Responder
  4. O cara poderia ter fugido para outro país e se manter seguro, mas preferiu ficar e enfrentar com coragem o governo Chinês.

    Tem uma frase que diz: "é melhor ser um herói morto do que um covarde vivo," essa concepção acaba causando polêmica aqui no ocidente pois a gente não tem essa mesma compreensão cultural de honra e mérito que os asiáticos têm no geral. Em culturas como a japonesa, por exemplo, a honra de um homem é muito mais valiosa que sua própria vida, então é culturalmente preferível sofrer e morrer honrado que viver como "covarde" e acabar deixando um legado de desonra para sua família e seus descendentes.

    Vale levar em consideração que esses países têm uma tradição muito forte de culto e reverência aos seus parentes ancestrais, por isso, se um ancestral morre sem honra, não será digno de reverência por parte dos seus descendentes futuros.

    Responder
  5. BBC News Brasil, seria interessante uma reportagem nos mesmos moldes falando da prisão do Sr Assange (Wikileaks), pois se trata de uma pessoa cerceada de sua liberdade em função de uma lei de segurança nacional – só que de um país ocidental (USA) com apoio de outro (UK). Seria interessante ver a abordagem de vocês sobre o tema.

    Responder
  6. O mais triste é ver ditaduras, serem defendidas por gente que nunca pisou por lá… jurar de pé junto que o comunismo é lindo, mas viver no luxo e no mais puro capitalismo… e muitas vezes, com o dinheiro do povo!!! 🤦🏻‍♀️🤦🏻‍♀️🤦🏻‍♀️ E nem vem dizer que lá não é comunista, por ideologia é sim… Só existe um partido, o partido comunista!!!! ⚠️

    Responder

Deixe um comentário

ACHADINHOS BARATOS

Esse post pertence a esse canal