o ano das Startups no Brasil. Entenda!

o ano das Startups no Brasil. Entenda!

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O ano de 2020 não foi fácil pra ninguém. Afinal, a pandemia trouxe um cenário de incertezas e paralisações até então inédito para a maioria das pessoas e empresas, afetando praticamente todos os setores da economia.

No ecossistema de startups isso não foi diferente. Porém, por mais que muitas dessas empresas tenham sofrido – e ainda estejam sujeitas – aos efeitos da crise, o setor foi se fortalecendo no Brasil durante o ano, somando um crescimento recorde de aportes e investimentos. 

Além disso, outras novidades, como a aprovação do Marco Legal das Startups,  fizeram com que 2020 fosse considerado o melhor ano da história para o setor no país. Vamos entender o porquê? Continue a leitura!

Crescimento esperado + vírus inesperado

2019 já tinha sido um ótimo ano para as Startups brasileiras e 2020 já era esperado para ser o ano da consolidação e crescimento do setor. Porém, logo nos primeiros meses o mundo foi atingido em cheio pela pandemia do novo coronavírus.

Assim como todo o mercado e sociedade, as startups também sofreram os impactos econômicos causados pelo isolamento social, pela paralisação de determinados setores e a repentina necessidade de adaptação ao trabalho remoto.

Segundo um estudo realizado pelo BID, 25% das startups do Brasil foram severamente afetadas nos períodos mais duros da pandemia. São casos de empresas de setores mais impactados, tais como turismo e eventos.

Porém, outros 25% de startups fizeram o caminho inverso, aproveitando o momento para crescer como nunca. Nesses casos, se destacaram as organizações que oferecem soluções para demandas crescentes no período, como por exemplo os serviços de comunicação e e-commerce

E os 50%  restantes? Ainda segundo o levantamento do BID, metade das startups nacionais foram impactadas negativamente, porém de forma menos severa que na maioria dos setores mais tradicionais do mercado e com retomada do crescimento bem mais rápida.  

Para essas empresas, a realidade de 2020 foi de congelamento nos investimentos, redução no ritmo de crescimento e expansão e, claro, de avaliação dos cenários.

Porém, quando comparado ao cenário das companhias tradicionais e ao mercado do Brasil no geral, que chegou a ter mais de 500 mil empresas fechadas apenas no primeiro semestre do ano passado, o universo das startups mostrou-se mais resiliente, capaz de registrar números recordes.

2020 das Startups no Brasil: Aportes Milionários, IPOs históricos e Unicórnios 

Mesmo com as dificuldades enfrentadas pelas maioria das empresas, o rápido movimento do mercado brasileiro acabou resultando em um aquecimento nos investimentos, em especial nas startups.

Até novembro de 2020 foram R$ 14,6 bilhões investidos no setor, representando um crescimento de 24,2% em relação ao mesmo período de 2019, que registrou R$ 11,8 bilhões, segundo levantamento da plataforma Distrito.

As operações, fusões e aquisições de startups no período também demonstram esse forte crescimento. Em 2020 foram 456 operações de investimentos e 118 de fusões e aquisições entre startups brasileiras. Números que representam altas de 28,1% e 87% respectivamente, em comparação com 2019.

Puxando esses números estão as fintechs e startups com foco em tecnologia para e-commerce que receberam investimentos milionários, com alguns chegando ao status de unicórnios, como é o caso de VTEX e Creditas.

Já nos IPOs históricos, o ano também trouxe grandes casos para a bolsa de valores nacional, como o do site Enjoei e da Méliuz, que levantou R$ 661,7 milhões e representou um marco para o ecossistema tecnológico no país.

Mas por que esse setor se diferenciou tanto das demais empresas? Vamos entender alguns dos motivos para o sucesso das startups em 2020? Confira a seguir!

Empresas nativas digitais

Naturalmente, as startups já nascem com uma forte cultura digital, contando com uma força de trabalho formada por “nativos digitais”, mais adaptados ao uso de ferramentas online e práticas como o trabalho remoto, por exemplo.

Além disso, boa parte das operações e negócios já estão baseados nas integrações com o meio digital, sofrendo menos impactos nos processos e entregas.

Com tudo isso, enquanto a maioria das empresas do cenário nacional tiveram que enfrentar uma transformação digital às pressas e, praticamente, à força, as startups estavam mais preparadas para acompanhar as mudanças e realizar as adaptações necessárias no negócio.

Flexibilidade e Agilidade para Retomada

Em um mundo VUCA – volátil, incerto, complexo e ambíguo – se destacam as empresas capazes de adaptar rapidamente a novos cenários. Nesse sentido, as startups têm vantagens de serem menores e mais ágeis para realizarem mudanças e ajustes.

Durante o período de pandemia, muitas startups fizeram adaptações nos processos e entregas para oferecer soluções de novas demandas, como nas áreas de saúde ou comércio. 

Marco Legal de Startups e PLP 135/20

2020 também foi um de avanços regulatórios para o ecossistema de startups no Brasil. Aprovado pela Câmara dos Deputados no final do ano, o Marco Legal das Startups segue para o Senado em 2021.

O texto traz uma série de novidades para a regulamentação, simplificação e aumento da segurança jurídica de investidores-anjo, melhorando todo o ambiente de negócios para startups e investidores no Brasil.

Já o PLP 135/2020, que também foi aprovado na Câmara em dezembro passado, deve garantir a ampliação e continuidade dos programas e recursos de apoio governamental para startups de alto risco tecnológico e projetos de pesquisa em ciência, tecnologia e inovação, conhecidos como spin-offs.

2021 está apenas começando, mas já promete ser de continuidade no crescimento das startups, oferecendo boas oportunidades para empreendedores, investidores e profissionais, em especial das áreas de tecnologia!

Redação Impacta

FONTE ORIGINAL

Compartilhe esse post:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *