Ludmilla detona o lockdown durante a pandemia, é criticada e tenta se explicar

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Ludmilla voltou a causar polêmica nas redes sociais ao fazer críticas ao lockdown decretado no Rio de Janeiro, onde mora, e foi bastante criticada pelos internautas.

Na ocasião, ela questionou se pessoas de serviços considerados “não essenciais” continuarão frequentando serviços “essenciais” e fez duras críticas à decisão.

O texto compartilhado foi originalmente escrito pelo especialista em sobrancelhas, Rafa Paixão, e dizia:

“Vidas importam e os trabalhos também. Será que o dono da academia (não essencial) continuará indo ao supermercado (essencial)? Será que o dono da loja de vestuários (não essencial) continuará indo ao posto de combustível (essencial)? Será que a dona do bar (não essencial) continuará indo à loja de material de construção (essencial)? Será que a filha do músico (não essencial) continuará naquele colégio (essencial)? Será que a dona Maria, garçonete (não essencial), pagará o IPTU (essencial)? Será que o vendedor ambulante (não essencial) pagará o aluguel (essencial)? Será que o artesão (não essencial) pagará a conta de água, luz (essencial)? Será que o que está sendo considerado não essencial, realmente não é mesmo essencial? Tudo é essencial. Vidas importam e os trabalhos também”.

Bastou isso para que ela recebesse uma enxurrada de críticas e apagasse a postagem minutos depois, mas já era tarde demais e os prints circularam na web.

Mais tarde, ela retornou ao seu perfil e tentou se explicar:

“Ces querem me cancelar pq eu falei que serviços são essenciais? Tudo é essencial! Lockdown é, trabalhar é, comer, pagar conta. Alguém vai garantir que as pessoas tenham vacina e o que comer depois do lockdown? Então tranca tudo! Sou super a favor! Mas só mandar trancar e cada um que se vire é mole. Tem que cobrar dos governantes, não é de mim não”.

“Essa era a hora dos artistas montarem uma frente ampla contra o governo federal cobrando vacina para população, mas cada um só pensa em seu umbigo”, sugeriu um seguidor.

“Se você é contra ao Lockdown, então faz campanha pra compra de vacinas, mobiliza seus fãs, seus seguidores a se proteger, usarem máscaras e não aglomerar”, pediu outro.

Confira:

Lucas MedeirosLucas Medeiros

Lucas Medeiros é formado em Comunicação Social e escreve sobre o dia a dia da TV.

FONTE ORIGINAL

Recomendado Posts

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *