Larry Page: conheça o cofundador do maior buscador do mundo

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Quem vê Larry Page pela primeira vez não imagina que aquele homem tranquilo e de fala mansa é uma das pessoas mais ricas e poderosas do planeta. Cientista da computação de origem, foi ele quem teve a ideia de criar, em 1998, a empresa que se tornou um dos maiores impérios da tecnologia mundial: a Google.

Junto com seu parceiro Sergey Brin, Page se manteve à frente da companhia, que evoluiu de um simples buscador para um conglomerado que vale mais de US$ 1 trilhão. Ele foi duas vezes CEO da própria Google e depois CEO da holding Alphabet, até transferir o comando de ambas para Sundar Pichai no final de 2019.

Atualmente, como os bilionários californianos Peter Thiel e Elon Musk, Larry Page faz pesquisa sobre o transumanismo e, embora a busca por estender a vida humana através da tecnologia ainda pareça um roteiro de filme de ficção científica, o cofundador da Google assegura que “qualquer coisa que você possa imaginar é provavelmente alcançável”.

Filho de peixe

Larry com seu pai Carl Page (Fonte: Edge/Reprodução)Fonte:  Edge 

Quando nasceu em Lansing, nos EUA, em 1973, os pais do bebê Lawrence, Carl e Gloria Page eram professores da Universidade Estadual do Michigan: ele de ciência da computação e IA; e ela, de programação. Ambos faziam parte da primeira geração de geeks de TI.

A casa da família vivia sempre cheia de computadores e revistas de tecnologia, que encantaram Larry desde cedo. Em um evento Google I/O em 2013, ele falou do seu pai (falecido em 1996) que brigou certa vez com os organizadores de uma conferência de robótica porque não abria mão de levar para o evento um menor de idade, seu filho Larry.

Tendo o cientista sérvio Nikola Tesla como seu ídolo, o jovem Page foi o primeiro aluno da escola a entregar sua lição de casa digitada no computador. Por isso, formar-se em engenharia da computação foi uma opção lógica e o mestrado em ciência da computação na Universidade de Stanford, uma consequência. Lá formou-se a dupla Page & Brin.

A parceria com Sergey Brin e a criação do Google

Fonte: AP/ReproduçãoFonte: AP/ReproduçãoFonte:  AP 

Quando chegou em Stanford, Page conheceu o russo-americano Sergey Brin, formado em ciência da computação e matemática pela Universidade de Maryland. Logo se tornaram amigos íntimos e foi no alojamento da universidade, especificamente no quarto de Page, após um sonho em que este queria “baixar toda a web”, que os dois jovens desenvolveram a ideia de um motor de buscas.

Autodeclarados almas gêmeas intelectuais, Larry e Sergey redigiram juntos o trabalho The anatomy of a large-scale hypertextual web search engine. O artigo que é a primeira teorização do primeiro motor de busca, é considerado um dos mais brilhantes da área até hoje. O nome escolhido para o mecanismo foi BackRub.

À medida que o projeto começou a se expandir para o mundo real, os dois amigos resolveram rebatizá-lo para Google, uma alusão ao termo matemático Googol, que representa valores muito elevados: o número um seguido pelo número zero cem vezes.

A fundação da Google Inc.

Fonte: GTres/ReproduçãoFonte: GTres/ReproduçãoFonte:  GTres 

Para financiar a sua criação, Page & Brin começaram a captar, em meados de 1998, a importância de um milhão de dólares, principalmente através de empréstimos junto a familiares e amigos. O primeiro grande financiador da futura empresa foi o cientista da computação alemão Andy Bechtolsheim, fundador da Sun Mycrosystems, que decidiu investir 100 mil dólares no empreendimento.

Os dois amigos fundaram a Google Inc. em 1998 e Larry Page foi o seu primeiro CEO. No princípio, o buscador nem tinha domínio próprio, ficando abrigado nos servidores da Universidade de Stanford com a URL google.stanford.edu. O domínio que hoje conhecemos, e usamos a cada minuto, só foi criado pela dupla em setembro de 1997.

A liderança de Page sempre foi voltada para resultados e ideias ambiciosas. Ele mesmo reconhece que é melhor em ideias gerais do que em gerenciamento porque não gosta de lidar com pessoas. Um dos seus “mantras” de liderança preferidos é: “não delegue: faça tudo que puder sozinho para andar mais rápido”.

No início deste mês, após a Alphabet anunciar ótimos resultados em seus ganhos trimestrais, o Real-Time Rankings da revista Forbes anunciou que a fortuna de Page subiu para US$ 91,2 bilhões, tornando-o a sétima pessoa mais rica do mundo. Em oitavo lugar, com US$ 88,4 bilhões, ficou o parça Sergey Brin.

FONTE ORIGINAL

Recomendado Posts

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *