Israel recebe comitiva do Brasil para cooperar com vacinas e remédios contra Covid-19

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, recebeu uma comitiva brasileira nesta segunda-feira (8) em seu gabinete em Jerusalém, para discutir a cooperação na produção de remédios e vacinas contra a Covid-19.

No encontro a portas fechadas, Netanyahu se reuniu com o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, o deputado federal (PSL-SP), Eduardo Bolsonaro, e o assessor especial da Presidência, Filipe Martins.

“Tratamos das prioridades da saúde: remédios e vacinas contra COVID, bem como a possibilidade de cooperação para esta produção em conjunto”, disse Eduardo Bolsonaro, acrescentando que uma carta do presidente Jair Bolsonaro foi entregue a Netanyahu.

De acordo com relatos à CNN, Netanyahu colocou sua equipe à disposição do Brasil para auxiliar nas conversas com institutos e centros médicos em pesquisas que vão além do spray nasal, utilizado contra câncer, e que está sendo testado no tratamento contra o coronavírus.

A comitiva brasileira embarcou no sábado (6) para Israel, com a presença de Bolsonaro na Base Aérea de Brasília.

No domingo (7), Ernesto Araújo se reuniu com o chanceler israelense Gabi Ashkenazi, em busca de parcerias para o desenvolvimento de vacinas e remédios para combater a pandemia da Covid-19.

“Queremos ser parceiros no desenvolvimento de vacinas e de remédios que possam tanto tratar como prevenir contra a Covid”, disse o chanceler brasileiro, que reconheceu Israel como o país que está “liderando o caminho no combate à pandemia”.

Em sua fala, o chanceler israelense disse estar ciente do momento difícil pelo qual passa o Brasil em relação à pandemia, e disse que seu país “fará todo o possível” para ajudar. 

Com mais da metade da população vacinada com o imunizante da Pfizer/BioNtech, Israel tornou-se líder mundial em vacinação. Até o momento, o Brasil tem cerca de 4% de brasileiros vacinados.

O combate ao terrorismo também foi pauta do encontro entre dois chanceleres. “Por muito tempo foi muito mais uma questão de somente dizer que repudiamos o terrorismo. Agora queremos agir contra ele, e não fingir que não existe em nossa região”, disse Araújo.


Visita da delegação brasileira a Israel liderada pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo. (Foto: Divulgação/Itamaraty)

A comitiva brasileira se reúne ainda nesta segunda com dirigentes do Centro Médico Sourasky (conhecido como Hospital Ichilov), que estuda a eficácia do spray nasal EXO-CD 24 contra a Covid-19. 

Também há encontros com representantes do Instituto Weizman de Ciência, que estuda o desenvolvimento de vacinas contra a Covid-19, e do Centro de Pesquisa do Hospital Hadassah, que estuda o uso do medicamento Allocetra no tratamento da doença.

Além de Araújo, Bolsonaro e Martins, a comitiva brasileira é composta pelo secretário especial de Comunicação Social, Fábio Wajngarten; o deputado Hélio Lopes (PSL-RJ); o embaixador Kenneth Félix Haczynski da Nóbrega; o secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, Hélio Angotti Neto; e o secretário de Políticas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Ciência e Tecnologia, Marcelo Marcos Morales.

FONTE ORIGINAL

Recomendado Posts

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *