Ibovespa futuro abre em queda e pode ter maior sequência negativa em 12 meses | Invest

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O Ibovespa futuro abriu em queda nesta terça-feira, 26, com investidores pessimistas com o andamento das pautas econômicas do governo, após o presidente da Eletrobras renunciar por falta de emprenho político para a privatização da companhia. Caso o mercado brasileiro tenha mais uma sessão negativa nesta volta de feriado, será o quinto pregão consecutivo de perdas – a maior sequência de quedas desde janeiro de 2020.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

Assim como na maior parte da semana passada, o mercado brasileiro anda na contramão do exterior, onde as principais bolsas operam em alta nesta terça.

No mercado local, investidores também repercutem a ata do Copom, que, assim como o comunicado posterior à decisão da última semana, sinalizou que a elevação de juros pode ocorrer em um horizonte próximo. “

Apesar da decisão unânime [de manter os juros em 2% ao ano], a ata revelou que alguns membros “‘julgam que o Copom deveria considerar o início de um processo de normalização parcial [dos juros], reduzindo o grau extraordinário os estímulos monetários’”, avaliam em nota analistas da Exame Research.

“Esse comentário aumenta a necessidade de se avaliar o balanço de risco até a reunião de março, quando já teremos dois resultados do IPCA, PÌB, dados de emprego e sinalizações das eleições para a presidência da Câmara e do Senado.”

Embora a alta da inflação tenha aumentado a pressão para a elevação de juros, nesta manhã, o IPCA referente aos primeiros 15 dias de janeiro deu um alento, ficando em 0,78%, abaixo da alta de 0,82% esperada pelo mercado.

Apesar da bolsa concentrar algum pessimismo com a agenda de privatizações, no câmbio, o dólar tem forte desvalorização contra o real. “Como foi feriado ontem em São Paulo, tem muitas operações represadas que estão entrando hoje. Então, o fluxo está derrubando o dólar. Ontem teve captação externa, além de IPO [da gestora Pátria nos Estados Unidos]”, afirma Jefferson Ruik, diretor de câmbio da Correparti.

Segundo ele, a expectativa de alta de juros também contribui para a apreciação do real, mas sem ter um papel determinante na alta da moeda. “Todo mundo sabe que uma hora vão subir os juros, ainda mais que tiraram o forward guidance.”

FONTE ORIGINAL

Veja esses também

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *