Gorilas se recuperam totalmente da covid-19 em zoológico nos EUA – Lifestyle

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:


Oito gorilas de um zoológico na Califórnia, nos Estados Unidos, se recuperaram totalmente da covid-19 após contrair o novo coronavírus no mês passado e estão prontos para receber visitantes, de acordo com a instituição.


A hipótese é que os primatas tenham sido infectados pelo vírus da covid-19 por um dos tratadores, que teve resultado positivo para o teste de diagnóstico da infecção em 11 de janeiro.


A detecção do coronavírus nos gorilas se deu a partir da testagem de amostras fecais desses animais, segundo autoridades do zoológico. O resultado deu positivo para a chamada “variante californiana do vírus”, uma cepa de disseminação rápida associada a casos em San Diego e outras partes do estado da Califórnia.


Os oito gorilas foram isolados depois que o diagnóstico da infecção foi confirmado e alguns deles apresentaram sintomas como “tosse leve, congestão, coriza e letargia intermitente”, explicou o zoológico.



Apesar do contágio, os primatas foram submetidos durante a pandemia a todas as medidas de segurança sanitária recomendadas pelas autoridades para prevenir a disseminação do vírus, de acordo com a mídia local.


Os funcionários do zoológico acreditam que a recuperação dos primatas ocorreu graças à atenção especial dada a eles pela equipe veterinária da instituição, que trabalharam em estreita colaboração com uma ampla gama de profissionais externos.


“Estamos muito gratos pela grande preocupação e apoio que recebemos enquanto o grupo se recuperava com segurança”, disse Lisa Peterson, diretora executiva do San Diego Zoo Safari Park. Ela acrescentou que eles estão “muito satisfeitos em compartilhar a alegria que esses animais trazem com a comunidade.”


O Zoológico de San Diego se comprometeu a divulgar todos os dados sobre a infecção pelo coronavírus em seus gorilas na esperança de que isso ajude a “fornecer informações importantes para a compreensão científica do vírus e seus efeitos sobre os grandes macacos”, afirmou  ainda a diretora.

FONTE ORIGINAL

Veja esses também

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *