Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Pois é, o ano começou, daqui a pouco as aulas já estão recomeçando e você ainda não resolveu a questão da sua transferência de faculdade, não é? Que bom!

Têm coisas que realmente demandam maior tempo para serem decididas/escolhidas e a transferência é uma delas.

Afinal de contas, mudar de faculdade ou de curso não é simplesmente uma troca, é mais do que isso: é a mudança da rotina diária também.

E aí, fatores como distância de casa, dificuldade de acesso, insatisfação com o método de ensino, professores pouco qualificados, infraestrutura, dificuldade de adaptação, entre outros, podem ser decisivos.

Da mesma maneira, facilidades como a proximidade da faculdade aos principais meios de transporte público, investimento em tecnologia e corpo docente também contam pontos positivos na hora da decisão.

Por que fazer Transferência de Faculdade?

Antes de tudo, é recomendado avaliar o real motivo para a mudança e, geralmente nesse momento, existem N situações!

Por exemplo, quando você gosta do curso, mas o problema é o campus, quando não gosta do campus, mas ele oferece o melhor e mais reconhecido curso da sua área de especialização.

Ou ainda quando você não gosta do curso e quer trocar de carreira.

Em qualquer um desses casos, vale a pena pesquisar como a sua faculdade é vista lá fora antes de trocá-la por outra.

Consultar outras Faculdades

Vale a pena também consultar a nova faculdade sobre o regulamento para transferência, os documentos exigidos e o calendário, pois cada instituição tem a sua política própria de transferências e, por isso, é importante avaliar essas condições estabelecidas e ainda as suas vantagens antes de decidir.

Supondo que a decisão já esteja tomada e que você esteja de mochila e livros preparado para ir para outro curso ou faculdade, antes de realmente dar adeus, busque informações sobre as vantagens de ser aluno de tal instituição, bem como as facilidades que isso poderá reservar.

Veja outras dicas para fazer antes da transferência:

  • Converse com alunos e ex-alunos para ajudar a ter uma opinião sobre a “experiência do usuário”.
  • Busque descontos: muitas faculdades acabam fazendo campanhas onde alunos transferidos ganham desconto nas mensalidades e, com isso, quem ganha é você!

Afinal, nada melhor que trocar de faculdade e ainda conseguir economizar nas mensalidades, não é?

Atenção com as grades e currículos

Como os currículos podem variar de instituição para instituição, é importante saber como é o processo seletivo para a faculdade em que está interessado e se preparar para cursar algumas disciplinas que não estão na grade da atual.

Em contrapartida verifique o aproveitamento, pois quando é realizada a transferência, existem sempre aquelas disciplinas que podem ser eliminadas, o que pode ser motivo para mais descontos na mensalidade.

Outra dica importante é ficar atento às matérias que cursou, pois não há necessidade de repeti-las.

E por fim, uma das dicas mais importantes: não deixe de ver como é o procedimento para transferência para a Faculdade Impacta: temos condições especiais!

FONTE ORIGINAL

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Uma das maiores preocupações de autoridades e da população com a epidemia mundial do novo coronavírus é com as fakes news.

Afinal, as informações falsas podem trazer pânico, confundir pessoas e, principalmente, atrapalhar as orientações de controle e combate da COVID-19.

Foi pensando nisso que dois alunos do segundo semestre da graduação do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Impacta desenvolveram um serviço de informações global e gratuito sobre o COVID-19: o Anúbis.

Bruno Tangerino e Rubens Gianfaldon são os criadores desse projeto inovador, que une um chatbot a um poderoso e acurado banco de dados global que traz informações de fontes confiáveis e em tempo real sobre o COVID-19, respondidas diretamente no WhatsApp.

Em poucos dias e apenas com divulgação orgânica, o programa já recebeu mais de 10 mil acessos!

Conheça mais sobre o projeto Anúbis

Ganhando cada vez mais adeptos, o programa já está disponível para qualquer usuário do Whatsapp.

“Nosso projeto foi testado primeiro na comunidade tech, avaliamos e depuramos alguns detalhes, e desde março está à disposição”, comenta Bruno Tangerino, programador de sistema líder do projeto.

Não é à toa que o nome do programa foi inspirado no Deus Egípcio Anúbis, que ao longo da história ganhou status de protetor das almas/pessoas em perigo ou em situações de crise ou tensão – como são as pandemias, já que o objetivo é justamente proteger as pessoas de qualquer região do Brasil com informações corretas.

Para garantir essa base de informações apuradas, o projeto 100% programado na linguagem Python coletamos informações em tempo real de fontes como do poder público.

“O projeto traz respostas de fontes confiáveis, dados reais gerados a partir de nossas APIs (Interface de Programação de Aplicações) com grandes portais do mundo, incluindo o serviço que monitora e alimenta dados para a Organização das Nações Unidas e para a Organização Mundial da Saúde”, diz Rubens Gianfaldoni, que é analista de sistemas.

Outro fator muito considerado pela dupla foi a facilidade de disponibilizar as informações para qualquer pessoa, permitindo o compartilhamento de dados em um formato seguro, simples e livre de manipulações.

Em tópicos simples e ágeis, o chat traz respostas atualizadas sobre o COVID-19.

O Anúbis oferece ainda um mapa em tempo real sobre a situação do transporte público, como no Metrô, em algumas cidades, além de condições climáticas e diversas possibilidades de recortes regionais até mesmo fora do Brasil.

Em linhas gerais, o serviço é a junção de poderosos bancos de dados – de alta confiabilidade e compliance – a uma interface amigável, simples e muito abrangente para, literalmente, conversar com as pessoas de qualquer idade ou condição social.

Para conversar com o Anúbis e ter informações verídicas e atualizadas é só adicionar o número: (11) 96346-5648 no seus contatos!

Deixe nos comentários a sua opinião ou sugestão. E não se esqueça de se inscrever na nossa News para não perder nenhuma dica ou conteúdo!

FONTE ORIGINAL

Como criar uma página na internet em menos de uma hora sem saber nada sobre programação

Como criar uma página na internet em menos de uma hora sem saber nada sobre programação

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Criar uma página na internet pode parecer uma tarefa extremamente complicada, mas na verdade é muito mais simples do que você imagina. 

Eu sei, pode parecer loucura.

Mas aquela velha ideia de que você precisa ser um especialista em programação e virar noites digitando código por código até ter uma página pronta já está mais que ultrapassada. 

Hoje, é possível criar e publicar páginas em menos de uma hora sem saber absolutamente nada sobre programação, códigos e afins. 

Como?

É muito simples!  

Tudo o que você precisa é de uma ferramenta de confiança que ofereça layouts prontos e já testados no mercado. 

A partir desses modelos, você pode customizar de acordo com as suas necessidades e deixar a página com a cara do seu negócio.  

Quer aprender a criar sua própria página na internet em menos de uma hora?

Nesse artigo eu te mostro como.

Você vai ver:

  • Como criar uma página na internet em 6 passos simples;

  • Elementos essenciais para a sua página;

  • Boas práticas para uma página na internet.

Tudo o que você precisa fazer é ler esse artigo até o final.

Vamos? 

Como criar uma página na internet em 6 passos simples

Se você pretende criar uma página na internet, acredito que você entende a importância dessa ferramenta para o seu negócio. 

Como você bem sabe, vivemos em um mundo cada vez mais digital. 

E com a facilidade e praticidade que a modernidade trouxe para o nosso dia a dia, é comum que, antes de realizar uma compra, o seu cliente passe um certo tempo pesquisando, comparando preços, buscando por comentários de outras pessoas que já adquiriram o seu produto ou serviço, até que finalmente decide finalizar a compra. 

Então, para ser visto, lembrado e vender mais, criar uma página na internet é o caminho certo.

Se você ainda não tem experiência e pretende criar a sua primeira página na internet para alavancar os seus negócios, eu sei o que você deve estar pensando: 

No primeiro momento, criar uma página do zero pode parecer difícil.

Por isso, nesse tópico, eu separei 6 passos simples e práticos que vão te ajudar a começar hoje mesmo.

1. Crie um domínio

O Domínio é a URL, o endereço que as suas leads vão usar para acessar a sua página na internet. 

É importante que ele seja fácil de memorizar, mas, principalmente, que ele tenha relação direta com a sua proposta.

Uma página pessoal, por exemplo, precisa trazer no domínio o nome do seu proprietário.

Já no caso de uma página para o seu negócio, o indicado é que o endereço leve o nome do seu empreendimento. 

Caso o nome do seu negócio não seja dos mais fáceis, uma ótima saída é utilizar abreviações que ajudem o público a memorizar o endereço do seu site. 

Entenda que o domínio é uma forma de promoção da sua marca e que, no caso de uma página com esse propósito, a marca é o seu próprio nome.

Antes de começar, é importante ter em mente quais são os seus objetivos ao criar uma página na internet. 

Certamente eles serão decisivos na hora de escolher o domínio do seu site. 

Depois de escolher o domínio, você precisa registrá-lo por meio de um prestador, como por exemplo o site registro.br, órgão responsável pela regulamentação de endereços web no Brasil.  

2. Escolha o modelo da sua página

Depois de registrar o seu domínio, o próximo passo é pensar em qual cara você quer dar para o seu site.

Imagine que você tem uma tela branca para preenchê-la como quiser. 

Pois é exatamente isso. 

Esse processo pode ser trabalhoso, principalmente se você tiver pouco ou nenhum conhecimento sobre o assunto e precisar contratar um profissional para esse serviço. 

Mas calma, você pode solucionar esse problema de uma maneira muito prática utilizando o Klickpages.

Com o Klickpages, você pode criar páginas a partir de templates prontos e já testados no mercado. 

Você pode escolher esse modelo por meio de uma busca no site a partir de palavras-chave relacionadas ao seu nicho de mercado. 

Depois disso, basta selecionar o modelo desejado e alterar de acordo com as suas necessidades. 

O que nos leva ao próximo passo. 

3. Customize a sua página

A customização da sua página implica em realizar modificações no seu layout.

Isso quer dizer alterar as cores, fontes, textos, entre outros. 

Um template serve como ponto de partida para dar uma ideia macro sobre o projeto, especialmente sobre a visualização dele. 

Mas você tem a liberdade de decidir de que maneira vai usar cada espaço disponível na peça. 

Ao utilizar uma ferramenta como o Klickpages, você pode realizar modificações no logotipo, cabeçalho, rodapé, menus, imagens, títulos, descrições, links, formulários… As possibilidades são infinitas! 

Tudo isso de forma simples e prática. 

Não é necessário ser um expert com conhecimentos avançados no assunto. 

Basta acessar as configurações que aparecem de forma individualizada no template. 

uMDXrfJbfrKCKXbdSAJVJ1rkaL5Z5aaPZvbpdXGi0WcKQEXuU0hYfMVk1i CCL4Quu5oGJmOy05VvS ZaSKeF43h5TcVJRNuuTntBr9lBv9lVXNyJKx1ua yCJ5PwdcZvV ranKl

Você clica no campo que deseja alterar e já ingressa no painel para realizar as modificações. 

4. Crie conteúdos de qualidade

Além de construir uma página na internet que seja estéticamente agradável, é importante pensar na qualidade do conteúdo publicado. 

É necessário ter em mente que a sua página só vai atrair e manter visitantes se o conteúdo disponibilizado ali for realmente interessante.

Por isso, pense em informações que contribuam com o objetivo da sua página. 

Se o seu objetivo é reforçar a sua marca, gere conteúdo que aumente a percepção sobre o seu valor, credibilidade, autoridade e relevância no mercado. 

Se o seu objetivo é vender mais, capriche nas ofertas (o que vai muito além do preço). 

A descrição dos seus produtos ou serviços precisa ser detalhada, ressaltando os seus diferenciais. 

Agora, se o objetivo da sua página é captar novas leads para o seu negócio, você precisa criar uma razão para que os potenciais clientes queiram trocar informações valiosas, como disponibilizar um material rico em troca do e-mail de contato. 

Essa razão pode ser a oferta de materiais ricos que despertem o interesse da sua lead como ebooks, webinars, blog posts, entre outros. 

Independente do objetivo da sua página, sem a oferta de um conteúdo relevante ela se torna uma perda de tempo, tanto para a sua lead quanto para você. 

5. Publique 

Depois de registrar o seu domínio, escolher o modelo da sua página, customizá-la e criar conteúdo relevante, está na hora de disponibilizar a sua página na internet. 

Uma das grandes vantagens de utilizar o Klickpages é que você pode realizar a publicação da sua página com apenas um clique.  

Mas antes, uma dica:

Não se esqueça de fazer a revisão completa, tanto do conteúdo, quanto dos links utilizados na sua página. 

Teste o funcionamento da página como um todo. 

Se coloque no lugar do usuário e avalie como seria a usabilidade.

Depois disso, sua página está pronta para ir ao ar. 

Basta clicar no botão “publicar” e divulgar a sua URL para garantir os primeiros acessos. 

QCF

6. Mensure os resultados 

Depois de criar uma página na internet, você precisa realizar um acompanhamento para saber quais foram os resultados obtidos. 

Nessa etapa, é importante se lembrar dos objetivos que você estabeleceu para a sua página lá no início. 

Então, verifique como a sua estratégia está funcionando na prática. 

O número de acessos obtidos está dentro do esperado?

Os visitantes do seu site estão clicando nos links?

Qual o tempo médio de permanência do usuário na sua página?

Sua lead tem interagido ou abandonado a sua página sem executar alguma ação?

Depois de analisar os resultados, você deve fazer as mudanças necessárias e colocar as melhorias em prática, visando a atração de mais clientes para o seu negócio. 

Elementos essenciais para sua página

Quando você utiliza um template para criar a sua página na internet, esse modelo já vem com alguns elementos considerados essenciais. 

Porém, isso não significa que você deve ficar preso apenas a essas possibilidades.

Nesse tópico, eu vou te mostrar os elementos que não podem faltar na sua página para agregar mais valor à estratégia. 

1. Título e subtítulo

Eu sei que pode parecer óbvio, mas esse elemento merece a sua atenção e por isso está no topo da lista.

Títulos e subtítulos cumprem funções variadas em uma página na internet. 

Além de servir como uma referência que guia o usuário pelo conteúdo publicado na sua página, esses elementos ajudam na classificação da sua página no Google e em outros mecanismos de busca. 

Isso acontece especialmente quando você utiliza palavras-chave compreendendo técnicas de SEO.

O usuário realiza uma pesquisa no Google a partir de determinada palavra-chave, e ele mostra a sua página como uma das sugestões de resultados.

O título da sua página pode influenciar diretamente na decisão do usuário. 

Se for atrativo o suficiente e chamar a atenção, ele pode clicar no resultado da pesquisa que leva para a sua página, navegar pelas opções e executar uma ação, seja ela adquirir um produto, um serviço ou se inscrever para saber mais sobre o seu negócio.

Agora, se o seu título não for interessante o suficiente, o usuário poderá ignorá-lo completamente.

2. Imagem  

Sabe aquela velha história de que uma imagem vale mais que mil palavras?

Pode até parecer clichê, mas não deixa de ser uma grande verdade. 

De acordo com um estudo realizado pela HubSpot, quando uma pessoa recebe uma determinada informação, ela tende a lembrar de apenas 10% do conteúdo.

Agora, se essa informação for associada a uma imagem, é possível que a pessoa se lembre de até 65% do conteúdo. 

Além disso, imagens também podem ajudar no ranqueamento da sua página nas ferramentas de pesquisa. 

Não há como negar os benefícios de utilizar imagens na sua página, no entanto é importante ficar atento ao uso indevido delas.

Caso ainda não saiba, você não pode simplesmente pegar uma imagem na internet e utilizar de acordo com a sua vontade.

Eu sei que parece muito cômodo realizar uma rápida pesquisa no Google Imagens, pegar aquela que você precisa e colocar na sua página. 

Porém, isso pode caracterizar violação de direitos autorais e direitos de imagens e, além de te gerar muita dor de cabeça, ainda pode manchar a reputação do seu negócio.

Para evitar esse tipo de problema, o ideal é sempre utilizar material de bancos de imagens gratuitos

3. Descrição do produto, serviço ou oferta

Se o seu principal objetivo é criar uma página na internet voltada para vendas, esse é um ponto chave para você.

A descrição do produto ou serviço é o texto persuasivo na sua página de vendas que explica o que é o produto, para que ele serve e por que a sua lead deveria comprá-lo. 

Uma boa prática antes de descrever o seu produto ou serviço é definir a sua persona

A partir daí, fica mais fácil adotar uma linguagem persuasiva adequada ao perfil do cliente ideal do seu negócio.

É importante ter em mente que o objetivo da sua página de vendas é destacar os diferenciais da sua oferta.

O potencial cliente precisa ser convencido de que essa é a melhor solução para o problema dele e que existem inúmeras vantagens ao fechar a compra.

4. Formulário de captura 

A presença de um formulário de captura na página também pode ter funções variadas.

É, por exemplo, um elemento indispensável para capturar leads, os potenciais clientes e possíveis compradores da sua oferta.

Quando eles ingressam na página, são meros visitantes.

Não dá para desperdiçar a oportunidade de obter o contato, como nome e e-mail, para depois promover abordagens mais direcionadas.

A partir de ações futuras de email marketing, por exemplo, você pode conduzir essa lead pelo seu funil de vendas, nutri-la com mais conteúdo relevante, até que ela esteja convencida e pronta para fechar uma compra.

E tudo começa nesse formulário que você elaborou ao criar a sua página.

Além disso, o elemento pode funcionar também como forma de contato para que o visitante faça uma pergunta ou comentário.

Seja qual for o objetivo do formulário, não o esconda na parte de baixo da página.

É importante que ele esteja visível, seja objetivo e tenha uma CTA, que pode ser construída na forma de botão.

O que uma CTA faz é convidar o usuário para uma ação, que pode ser baixar um material rico, assinar uma newsletter ou enviar uma mensagem de contato.

Boas práticas para uma página na internet

Agora que você já sabe como criar uma página na internet e conhece os elementos que não podem ficar de fora, é hora de ampliar a sua visão sobre ela. 

Nesse tópico, eu separei 4 boas práticas para qualificar ainda mais os resultados da sua página. 

1. Tenha uma página responsiva 

Não dá para negar que os avanços tecnológicos influenciam diretamente nos hábitos de consumo. 

De acordo com um estudo divulgado pela Agência Brasil, cerca de 98,1% dos acessos à internet são realizados por smartphones. 

Uma página responsiva é aquela que se adapta bem a tamanhos de telas diferentes, seja com acessos a partir do computador, tablet ou smartphones.

Como cada vez mais pessoas utilizam dispositivos móveis para navegar pela internet, oferecer essa experiência ao usuário se torna um requisito básico. 

Se você já usa o Klickpages para criar as suas páginas, não há com o que se preocupar. Nossa ferramenta já cria páginas responsivas automaticamente.

2. Invista em marketing digital

Uma estratégia de marketing digital é imprescindível para dar visibilidade e atrair visitantes à sua página.

Afinal, depois de publicada, como as pessoas vão chegar até ela?

Entenda que investir em marketing não necessariamente implica em gastos.

Publicações em redes sociais, por exemplo, não custam nada além de tempo, esforço e criatividade.

Além disso, o uso do SEO, como você já conferiu antes, é imprescindível para gerar tráfego orgânico a partir do Google e outros buscadores.

3. Não seja apenas mais um

Páginas na internet existem aos montes.

Muitas delas, inclusive, com os mesmos objetivos que você.

Então, por que a sua será a escolhida?

Entenda que a decisão é sempre do usuário na web. Para conquistá-lo, você precisa de um diferencial que seja importante para ele.

Depois de descobrir qual é, explore ao máximo.

Dica: o diferencial sempre tem a ver com o seu público-alvo.

4. Pense como uma loja física

Para quem deseja criar uma página na internet para vender, é importante tratá-la como se fosse uma loja física.

Isso significa que ela deve ser convidativa para o visitante, ter fácil acesso, um layout bonito e agradável, contar com elementos organizados e harmônicos e ser de fácil navegação – algo comparado à circulação de pessoas pelo local.

Faça uma análise crítica e convide outras pessoas a avaliarem também.

Pegou todas essas dicas? Então, agora é com você! 

Mão na massa

Nesse artigo eu te mostrei o que você precisa para criar uma página na internet, te contei quais elementos não podem faltar nela e ainda te dei dicas de boas práticas na internet.

Agora é a sua vez de colocar a mão na massa e praticar os seus novos conhecimentos adquiridos aqui.

Gostou desse artigo? Me conta aqui nos comentários!

Ah, não se esqueça de se inscrever na newsletter do Klickpages para receber semanalmente mais conteúdos como esse na sua caixa de entrada. Clique Aqui

(Este artigo foi originalmente publicado em 23 de outubro de 2018 e atualizado em 25 de fevereiro de 2021 por João Pedro Ferreira para oferecer informações mais precisas e completas).

 

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

0589bcc21c2421cce1bc09d4cbc52476?s=86&d=mm&r=g

Sobre o Autor

João Ferreira

Olá! Me chamo João Pedro, mas todo mundo me chama de João. Faço parte do time de conteúdo aqui do Klickpages e estou sempre buscando novos aprendizados na área de comunicação e marketing. Como todo mineiro, não dispenso um bom café e uma ótima conversa. No meu tempo livre estou sempre antenado nas novidades da cultura pop, atualizando a minha lista de séries, vendo um bom filme, ouvindo o mais novo hit do momento, rindo muito enquanto ouço os meus Podcasts favoritos ou criando alguma teoria sobre o multiverso da Marvel.

FONTE ORIGINAL

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

“Onde a tecnologia vai parar?” — com tantos avanços e possibilidades que parecem surgir em velocidades cada vez mais impressionante, quem é que nunca se perguntou isso?

Como a missão das máquinas, sistemas e soluções digitais sempre foi basicamente otimizar as atividades humanas, é possível imaginar que o limite da tecnologia é o ponto no qual a atividade humana esteja completa em facilidades e funcionalidades.

Nesse contexto, uma das tarefas mais complexas para pesquisadores de todo o mundo é a possibilidade de máquinas atuarem por meio de aprendizado e experiência.

O desafio é fazer com que robôs sejam projetados para ter algo inerente à natureza humana: a cognição.

É com ela que o ser humano experimenta, aprende e se habitua. E essa já é a realidade dos estudos e testes em tecnologia e robótica atualmente, que investem na chamada computação cognitiva. Mas você sabe o que é? Confira a seguir!

O que é Computação Cognitiva?

Muitas vezes confundida com inteligência artificial, aprendizagem de máquinas e até mesmo com sistemas especialistas, a computação cognitiva é a ciência que estuda e aplica a tecnologia voltada à geração de conhecimento básico por meio da interpretação de dados e extração dos significados que eles transmitem.

Essa abordagem é um desdobramento avançado dos sistemas não estruturados, programáveis, nos quais os robôs agiam de acordo com comandos operacionais emitidos pelo homem.

Agora, a computação cognitiva prevê uma ação independente, com base no aprendizado experimental da máquina.

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira 7

A cognição robótica já é uma realidade

O que antes era uma característica exclusiva dos humanos — o aprendizado, a inteligência, a interpretação do ambiente influenciando sobre as ações — agora também é uma possibilidade para equipamentos eletronicamente operacionalizados.

Com isso, a relação entre máquinas e humanos torna-se mais sensível. É como se fôssemos compreendidos e interpretados para soluções imediatas, que demandariam muito mais tempo e complexidade.

O impacto nas empresas

A computação cognitiva está na mira de empresas e instituições que precisam qualificar processos operacionais e métricas de resultados.

Quem quer arriscar, com previsibilidade e segurança, entendeu que essa tecnologia pode, e muito, oferecer fatores que otimizam e qualificam as tomadas de decisões.

Visto que a computação cognitiva pretende fazer com que máquinas consigam se aproximar o máximo possível da condição intelectual humana, tais organizações perceberam a oportunidade de atrelar essas ferramentas ao atendimento e prestação de suporte ao cliente.

Sistemas passaram a operar com base na análise de uma rede de dados e informações, oferecendo soluções práticas, rápidas e eficientes para tais necessidades. Assim, a relação empresa-cliente tornou-se mais satisfatória.

Entre os recursos da computação cognitiva, estão as interfaces de linguagem natural e a capacidade de monitorar sensores incorporados ao meio ambiente para captar mudanças.

Isso significa que esses sistemas apresentam condições de interpretação do ambiente, da necessidade do cliente e da forma de comunicar.

Tudo ocorre de acordo com aquilo que é percebido, analisado, e resulta em uma ação eficiente em relação aos aspectos que regem a demanda do mercado.

Qual é a relação entre IA e Computação Cognitiva?

A inteligência artificial é um produto da computação cognitiva, que, por sua vez, é um aperfeiçoamento do que a IA já iniciou.

Enquanto a primeira busca simular a capacidade humana de pensar, a computação cognitiva propõe o aprendizado da máquina, fazendo com que os sistemas tenham condições de corresponder às demandas dos usuários.

A computação cognitiva ainda integra muitas outras abordagens, como:

Deu pra entender um pouco melhor como funciona a computação cognitiva? O fato é que essa será uma tendência cada vez mais forte nos próximos anos, possibilitando uma relação altamente sensível entre homens e máquinas.

Esse segmento está em constante crescimento e, para quem se interessa, investir em especialização nessa área é uma ótima forma de garantir seu espaço no mercado de trabalho!

Deixe suas dúvidas e sugestão nos comentários e inscreva-se na nossa newsletter para não perder nenhuma dica.

FONTE ORIGINAL

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, os processos seletivos das empresas também estão ainda mais exigentes, já reparou?

Para se dar bem nesse cenário, a dica é uma ótima preparação, inclusive para responder às perguntas de entrevista de emprego que podem – e devem – ser feitas pelos recrutadores.

Mas como se preparar se você não sabe o que o entrevistador irá perguntar? 

É claro que não há uma receita pronta para os processos seletivos, ainda mais em mercados distintos, mas algumas dessas questões são bem parecidas – já que o objetivo por trás deles costuma ser o mesmo: conhecer o candidato.

Pensando nisso, chegamos a 13 perguntas mais comuns em entrevistas de emprego. E, agora, as apresentamos para que você entenda a melhor forma de respondê-las para conquistar os seus objetivos profissionais. Confira! 

13 Perguntas de Entrevista de Emprego para você responder

Por mais que algumas possam parecer clichê, essas perguntas são importantes para a empresa entender se o seu perfil profissional é adequado para a vaga e para a cultura do negócio. 

É por isso que é preciso respondê-las com sinceridade e certa espontaneidade para que não pareça um discurso decorado, superficial ou – no pior dos casos – falso. Vamos ver quais são?

1 – Você pode nos contar um pouco sobre você?

Essa simples pergunta não traz nenhuma resposta simples. Afinal, é comum que os entrevistados respondam apenas sobre aspectos da vida pessoal ou relatem exatamente tudo o que está no currículo.

O indicado é que você fale sobre as principais fases da sua carreira, realizações, experiências e características profissionais. A dica é escolher dois ou três dos principais pontos de destaque que te tornam apto para a vaga pretendida. 

2 – Você já conhece a EMPRESA, o que sabe sobre nós?

Nesta pergunta, o recrutador quer saber se você estudou a vaga e o quanto está alinhado com a empresa. Por isso, vá além da apresentação ou descrição disponível no site do empregador. 

Procurar conhecer como é o trabalho da empresa na área em que você está se candidatando ou mesmo mostrar que entendeu os objetivos e valores da empresa, podem te ajudar a se destacar na hora da entrevista.

3 –  Por que você quer trabalhar para nós?

Com base no preparo da pergunta anterior, você já saberá como responder a essa questão com confiança. 

Destaque os fatores principais que tornam a oportunidade ideal para o que você busca como profissional nesse momento.

Você pode usar exemplos do cargo ou mesmo da cultura ou atuação da empresa, respondendo algo como: “Eu sempre tive o desejo de atuar com marketing digital, pois…” ou “Meu objetivo é ter uma oportunidade em uma empresa que valoriza aspectos como…”. 

4 – Por que devemos te contratar para essa vaga?

Esta é uma das perguntas mais difíceis de se responder, pois é importante convencer que, além de estar preparado para o trabalho, você pode ajudar a trazer mais resultados e que está alinhado com o que a empresa espera.

A dica aqui é descrever as suas principais habilidades e experiências que o qualificam para contribuir da melhor forma com o trabalho.

5 – Quais são os seus principais pontos fortes e fracos?

Essas duas perguntas costumam deixar muitos candidatos desconcertados, já que, convenhamos, não é nada fácil falar de si. 

Mas tenha em mente que os recrutadores estão analisando muito mais a sua capacidade de autoconhecimento e a sua honestidade do que procurando uma resposta correta. Por isso, fuja dos “perfeccionismo demais” como ponto fraco, ok?

É importante apontar os seus pontos fortes e fracos verdadeiros, escolhendo os termos com cuidado para não acabar de vez com as suas chances na vaga. 

Por exemplo, ao invés de falar que você “lida bem com pessoas”, você pode dizer que “sabe construir relacionamentos”. 

Já no lugar de contar que “não gosta de se apresentar em público”, você pode dizer que “possui dificuldades de falar em público, mas que está trabalhando esse ponto, pois sabe da sua importância”.

6 – Qual você considera a sua maior conquista profissional?

Para responder essa pergunta pense em alguma tarefa ou projeto em que você participou que trouxe o resultado esperado – ou que superou as expectativas. 

Uma dica para construir sua resposta da melhor forma, é usar a técnica STAR: Situação – Tarefa – Ação – Resultado.

Veja um exemplo de aplicação da STAR nesse contexto: “No meu último emprego como CARGO, eu tinha a tarefa de ATIVIDADE e fazendo AÇÃO e AÇÃO, alcançamos X% de RESULTADO”. 

7 – Qual foi o seu maior desafio da carreira e como você o enfrentou?

O objetivo desta pergunta é identificar características como resolução de problemas, pro-atividade e comunicação.

Por isso, pense em alguma situação real em que você utilizou habilidades como essas para chegar a uma boa solução para o problema. 

Para contar essa história, a técnica STAR citada na dica acima, pode ser muito útil.

8 – Onde você se vê daqui a cinco anos?

Acredite, o entrevistador não quer saber qual carro você terá ou se já estará casado em 5 anos.

Geralmente, o objetivo dessa pergunta é saber se as expectativas do candidato estão alinhadas com a vaga e a empresa.  

É importante demonstrar ambição, mas apresentar aspirações realistas é ainda mais. Por isso, a dica é pesquisar bem a vaga e a empresa para pensar nas possibilidades de crescimento em médio prazo.

9 – Você trabalha bem em equipe?

Uma das soft skills mais valorizadas nas empresas atualmente, o trabalho em equipe é fundamental para diversas áreas. Por isso, essa pergunta é bastante comum nas entrevistas.

Para respondê-la, entretanto, um simples “sim” não vai dizer muita coisa para os entrevistadores. A dica é contar exemplos de atividades e projetos que realizou em equipe e de como se saiu.   

10 – Por que você está deixando seu emprego atual?

Uma das perguntas mais delicadas que podem aparecer em um processo seletivo é esta. Isso porque muitos candidatos aproveitam o momento para desabafar sobre o seu descontentamento na empresa.

Não é isso que interessa ao recrutador e pode, inclusive, causar uma má impressão sobre você.

A dica é ser honesto sempre, porém valorizando mais as oportunidades e conhecimentos que você terá na nova vaga e que não tem no emprego atual. 

Por exemplo, eu invés de reclamar do antigo chefe, você poderia dizer algo como “Eu vejo aqui uma ótima oportunidade para atuar com projetos de XXXX com maior participação e autonomia, o que eu não tenho atualmente…”

11 – Como você lida com pressões ou situações estressantes?

Mais do que responder que “lida bem” ou que “é tranquilo para lidar com pressão”, o ideal é narrar exemplos de situações assim, mostrando como você se porta.

Conte como você faz para se organizar e manter o foco e a produtividade durante essas situações extremas.

12 – Quais são as suas expectativas de salário?

Esta também é uma pergunta incômoda para muitos candidatos. Afinal, como saber se a sua pretensão salarial está acima ou abaixo do que a vaga oferece? 

Se você está empregado, uma dica é considerar o quanto você gostaria de receber de aumento para valer a pena a troca de empresa. 

Outra dica importante para te dar uma base é pesquisar as médias salariais do cargo na sua região. Sites como da Michael Page e listas divulgadas na internet, como essa aqui no Blog Impacta, podem ajudar!

13 – Você tem alguma pergunta?

Geralmente a última pergunta feita na entrevista, essa pode ser uma oportunidade de mostrar o seu real interesse pela vaga e, claro, tirar dúvidas que possam ter ficado durante o processo.

Uma dica é aproveitar a pergunta como um gancho para algum ponto conversado durante a entrevista e mostrar que você está realmente animado para colaborar. 

Exemplo: “Você citou que estão em expansão, pode me contar algo sobre os planos e cronograma de crescimento da empresa?”.

Agora que você já conhece algumas das principais perguntas feitas na entrevista de emprego, só falta começar a se preparar e buscar as oportunidades que sempre sonhou, não é mesmo? 

Esperamos que o artigo ajude na sua preparação. Boa sorte!

FONTE ORIGINAL

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O estágio é muitas vezes o primeiro passo para quem deseja colocar em prática os conhecimentos adquiridos na graduação e uma ótima oportunidade de chegar ao mercado preparado para as rotinas e os desafios do trabalho.

Além disso, essa etapa é fundamental para a vida profissional possibilitando experiência, prática e a criação de contatos que podem influenciar toda uma carreira.

Para ajudar quem está nessa fase de busca por um estágio, os parceiros da EstágioTrainee.com separamos dois Programas de empresas que estão com inscrições abertas! Confira e saiba como se inscrever:

Programa de Estágio FCB Brasil 2021

A FCB Brasil, que está entre as maiores agências de Marketing e Publicidade do país, abriu inscrições para seu processo seletivo de Estágio que oferece vagas para estudantes com formação superior (bacharelado, tecnólogo e/ou licenciatura) prevista entre Dez/2022 e Jul/2023.

As vagas estágio estão disponíveis para São Paulo (SP) para os alunos dos seguintes cursos:

O Programa, que foi um sucesso em sua 1º edição, com 90% dos estagiários sendo efetivados, nasceu com o objetivo de levar mais pluralidade aos negócios da empresa.

Fazer o job com rapidez, entregar um craft estratégico e criativo é também coisa de estagiário na FCB. Por isso, os estagiários contarão com mentores que irão auxiliá-los em suas atividades diárias.

Inscrições até: 23/02/2021
SAIBA MAIS E INSCREVA-SE: Programa de Estágio FCB Brasil

Programa de Estágio Quod 2021

A Quod, que atua no segmento de análise de riscos e nasceu a partir da união dos cinco maiores bancos do país, está com inscrições abertas para seu processo seletivo de Estágio, que oferece vagas para estudantes com formação superior entre Dezembro de 2022 e Dezembro de 2023.

As vagas são para atuação em Barueri (SP) para estudantes nas seguintes áreas:

  • Engenharias: Computação, Controle e Automação, Elétrica, Eletrônica, Mecatrônica, Sistemas e Software;
  • Cursos da área de TI: Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Jogos Digitais, Segurança da Informação, Sistemas de Informação, Tecnologia da Informação e Dados;
  • Exatas: Matemática Computacional, Estatística e Dados.

O programa de estágio da Quod conta com o acompanhamento direto de líderes e mentores e um processo de desenvolvimento acelerado.

Inscrições até: 26/02/2021
SAIBA MAIS E INSCREVA-SE: Programa de Estágio Quod 2021

Faça já sua inscrição e boa sorte!

Depois de inscrito é só começar a se preparar, dá uma olhada nas dicas que separamos para você ir bem na Entrevista de Estágio AQUI NESSE POST!

FONTE ORIGINAL

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Seja qual for a sua área de atuação profissional, ter um planejamento de carreira é fundamental para traçar objetivos, alinhar expectativas e, com isso, poder evoluir para aonde quer chegar e em quanto tempo.

Além disso, ter uma linha traçada para o seu crescimento no trabalho é fundamental tanto para a realização pessoal quanto profissional, permitindo criar e construir o futuro de sua carreira.

Mas como fazer? Um dos primeiros passos é entender o que é e começar a fazer o seu Plano Estratégico Pessoal. Vamos descobrir? Confira a seguir!

O que é PEP – Plano Estratégico Pessoal?

Um Plano Estratégico Pessoal (PEP) é um processo para formular objetivos, ações e execuções, de acordo com as questões internas e externas de cada pessoa.

Para isso, algumas premissas básicas são estabelecidas para que o planejamento seja coerente e sustentável.

O PEP oferece uma série de vantagens para os colaboradores, independentemente da área de atuação. Isso porque eles são capazes de tomar melhores decisões, otimizar o tempo de trabalho, além de melhorarem o seu relacionamento com os colegas.

Como funciona?

O processo desenvolvido pelo PEP exige que a pessoa preste atenção a três pontos imprescindíveis – bastante conhecido entre as empresas: missão, visão e valores.

Eles funcionam como um importante ponto de partida para a elaboração do planejamento estratégico, considerando a forma como você se identifica e o seu propósito de vida.

Entenda seu objetivo de vida com a Tríade do PEP

Um Plano Estratégico Pessoal deve iniciar partindo por uma profunda reflexão do objetivo de vida do indivíduo.

Após essa etapa, são apresentadas as âncoras de carreira que determinam o tipo de perfil para determinada área de atuação.

Ou seja, tais ferramentas são essenciais em um PEP, pois permitem visualizar claramente as características que constituem a postura e o pensamento de uma pessoa.

Para isso, utiliza-se uma tríade organizacional que possibilita pensar e construir a missão, a visão e os valores específicos que são relevantes para o profissional.

De forma geral, os conceitos, quando bem aplicados, conseguem dar mais sentido às expectativas e projeções, demonstrando quais são as ações que serão necessárias tomar para avançar.

Entenda, a seguir, do que se trata cada um dos conceitos e como eles são fundamentais para a criação do PEP.

Missão:

A missão determina a finalidade do seu trabalho, ou seja, as razões e os motivos que o levam a seguir em determinada direção.

Por meio dela, é possível que o profissional tenha uma melhor compreensão acerca das suas necessidades de vida e trabalho, descobrindo
o que deve ser prioridade em cada etapa da sua carreira.

Isso permite que a pessoa seja mais eficaz em suas ações, levando em consideração os seus objetivos e princípios. Portanto, a missão contida no PEP deve ser clara, tendo como base algumas estratégias que ajudam a orientar a atuação.

Visão

A visão é, justamente, a descrição do seu futuro, em que ponto deseja chegar e quais serão as metas para os próximos anos.

Sendo assim, é preciso que a visão seja formulada de forma realista, pois ela serve como um importante fator de motivação que permite que a pessoa se movimente para alcançar os objetivos dentro do prazo determinado.

De forma geral, a visão costuma ter uma duração predeterminada, sendo necessário substituí-la por outra assim que a próxima etapa for alcançada. Nesse ponto, os motivos pelas quais as metas foram estabelecidas são indicados, o que pode ser feito de maneira prática e rápida.

Valores

Os valores formam o código de conduta da pessoa, ou seja, os seus princípios éticos e morais que devem ser respeitados.

Eles se refletem, sobretudo, nos comportamentos, nas atitudes, nas decisões e no comprometimento com a sua carreira e a sociedade como um todo.

Dentro de uma empresa, por exemplo, os valores servem para identificar se os colaboradores estão atuando de acordo com os padrões comportamentais e organizacionais da companhia.

Isso porque também funcionam como guias e parâmetros a serem seguidos para melhorar os aspectos relacionais entre todos.

O que são âncoras de carreira?

A teoria das âncoras de carreira surgiu na década de 1970, advindas das ideias de Edgar Schein, professor do Massachusetts Institute of Technology (MIT).

O docente explica que as âncoras se desenvolvem com o passar dos anos, desde a infância, e são responsáveis por formar a personalidade e também a autoimagem.

Basicamente, as âncoras são um conjunto de necessidades, habilidades e valores que norteiam as decisões de cada pessoa. Elas são constituídas por alguns fatores que exercem total influência no direcionamento da profissão, representando a verdadeira essência de um profissional.

Afinal, demonstram seus objetivos e propósitos em relação ao trabalho, sempre considerando a sua concepção de mundo.

Dentro de uma empresa, o colaborador deve alinhar as suas âncoras com as do empreendimento, para que seja possível produzir com mais efetividade e motivação, alcançando os resultados esperados.

Com isso, aumentam-se as possibilidades de destaque e, também, de desenvolver novas habilidades para a carreira.

Tipos de Âncoras de carreira

Os tipos de âncoras foram elaboradas por Edgar Schein e dizem respeito a 8 fatores básicos:

  • desafio puro;
  • estilo de vida;
  • dedicação a uma causa;
  • segurança e estabilidade;
  • criatividade empresarial;
  • autonomia e independência;
  • competência técnica e funcional;
  • competência administrativa geral.

Por meio do PEP, o profissional consegue identificar qual é o seu tipo de âncora e quais são as carreiras associadas a cada uma.

De forma geral, as pessoas tendem a se manter sempre na mesma modalidade, facilitando como um todo o planejamento da profissão de forma mais satisfatória.

Com alguns testes, a pessoa pode entender se está atuando em uma área que tenha afinidade, possibilitando fazer ajustes na carreira para continuar tendo bons resultados.

É possível que o processo seja feito com a ajuda de um mentor, contribuindo para que se compreenda os maiores propósitos e anseios profissionais de maneira rápida e eficaz.

Agora que você já compreendeu os princípios para definir um Plano Estratégico Pessoal, basta começar a aplicar na sua carreira, não é mesmo?

Faça um exercício preenchendo quais são os critérios e âncoras da sua carreira para entender e começar a traçar suas metas e objetivos! Para ajudar, confira o nosso Guia Completo de Planejamento de Carreira aqui!

FONTE ORIGINAL

O que fazer quando você esquece a senha do Apple ID

O que fazer quando você esquece a senha do Apple ID

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

A Apple oferece muitas maneiras diferentes de recuperar uma senha perdida do Apple ID, mas elas ficam cada vez mais complicadas até mesmo para recuperar senha iCloud.

Aqui está o que você pode e deve fazer se você esquecer, além disso, se o seu iPhone ou outro dispositivo Apple tenha perdido a senha pode tentar isso.

Olha, só não se esqueça da sua senha do Apple ID, ok? 

Não fique somente com a senha na sua cabeça anote em algum lugar e salva essa senha, pode escrever em post-it ou até mesmo em um gerenciador de senhas seguro.

Seu Apple ID é a chave, em todos os sentidos, para tudo, desde seu iPhone, até iCloud e o seu e-mail. Uma vez que é diferente da senha que você usa para fazer login no seu Mac, no entanto, e como também é diferente da senha que você usa no seu dispositivo iOS que você não digita com muita frequência.

É por isso, que pode ser fácil esquecer. E o grande problema quando acontece algum problema e você precisa, dessa senha você percebe que não lembra da famosa senha.

A Apple tem feito diversas maneiras para tentar facilitar a recuperação da senha do usuário, para facilitar a recuperação da sua senha Apple ID de volta, mas também tem que equilibrar a segurança. Se fosse realmente fácil descobrir uma senha do Apple ID, pessoas desonestas estariam fazendo isso o tempo todo.

Consequentemente, além de várias maneiras de recuperar essa senha, a Apple também oferece diversas maneiras de proteger. Isso é ótimo para manter outras pessoas fora do alcance da senha do seu celular, mas se torna uma complicação quando você também esquece essa senha.

As vezes pode até mesmo ser um endereço de e-mail, mas você pode não se lembrar qual é quando precisar.

Como encontrar seu endereço de e-mail Apple ID

  • No seu dispositivo iOS, abra configurações
  • Toque no seu nome e o endereço de e-mail será listado na parte superior da tela
  • Outra opção no Mac, abra as preferências do sistema
  • Clique no Apple ID à direita do seu nome
  • O endereço de e-mail está listado em seu nome

Isso pressupõe que você esteja logado no dispositivo que está usando. Se você não estiver logado no seu Mac, é provável que esteja no seu iPhone.

Isso porque você desbloqueia o telefone com uma senha específica para esse dispositivo.

Consequentemente, mesmo que você não se lembre qual é a sua senha do Apple ID, você provavelmente conhece a sua senha do iPhone. E você pode usar isso tanto para encontrar seu endereço de e-mail Apple ID, e alterar a senha também.

Como usar a sua senha do iPhone para alterar a sua senha do Apple ID

  1. Vá para Configurações
  2. Toque em seu nome e escolha Senha e Segurança
  3. Selecione Alterar senha
  4. Você será solicitado a inserir a senha do seu iPhone ou iPad
  5. Em seguida, você será solicitado através da alteração da senha do Apple ID

Isso só funciona porque, tendo usado a sua senha, você é autenticado. Há um método semelhante no Mac, assumindo que você sabe a senha para desbloquear a tela.

Como usar sua senha do Mac para alterar seu Apple ID

  1. Vá para Preferências do Sistema
  2. Clique em seu nome
  3. Escolha senha e segurança
  4. Clique em Alterar senha
  5. Quando solicitado, digite a senha de desbloqueio do seu Mac
  6. Defina uma nova senha

Mais uma vez, você é capaz de fazer isso porque você foi autenticado pelo fato de ter logado e conhece a senha de login.

Se você não consegue entrar no seu Mac ou iPhone, porque foi então você pode alterar sua senha de outro dispositivo. Você pode fazer através do navegador no dispositivo de um amigo ou familiar, ou você pode usar o aplicativo de suporte da Apple.

Como alterar sua senha do Apple ID com o aplicativo de suporte da Apple

  1. Nesse outro equipamento baixe o aplicativo de suporte da Apple ‎Suporte da Apple na App Store
  2. O aplicativo abre em uma página sobre o dispositivo iOS do seu amigo no canto superior esquerdo normalmente
  3. Role até a posição Mais Produtos e toque no Apple ID
  4. Toque em Esqueci a Senha do Apple ID
  5. Toque em Iniciar em Redefinir sua senha
  6. Na próxima página, marque um Apple ID diferente
  7. Toque em Continuar
  8. Digite seu Apple ID
  9. Digite seu “número de telefone confiável” para autenticar
  10. Siga as instruções para alterar a sua senha

Note que é importante marcar um Apple ID diferente, ou você vai acabar tentando mudar a do seu amigo em vez do seu. Também mantenha esse amigo por perto para que eles possam digitar sua senha como solicitado.

Mesmo que você tenha feito isso em seu iPhone, usando o aplicativo Apple Support que baixou, nenhum dos seus dados será mantido neste dispositivo que usou para recuperação.

Lembrando o aplicativo Apple Support requer iOS 13 ou posterior.

Se o seu dispositivo for anterior ainda terá o aplicativo Find My iPhone e você pode usar da mesma forma. O aplicativo Apple Support oferece mais opções, principalmente para o seu amigo, mas o Find My iPhone inclui um botão Apple ID ou Password que poderá usar caso esqueça a senha.

Como alterar seu Apple ID usando um navegador

  1. Acesse o site https://iforgot.apple.com/
  2. Se for solicitado automaticamente a sua senha, clique em Cancelar
  3. Clique em Esqueceu Apple ID ou senha
  4. Clique em Continuar com senha
  5. Quando solicitado, digite seu endereço de e-mail do Apple ID e clique em Continuar

O que acontece a seguir depende de como você configurou o seu Apple ID. Você pode ser solicitado a digitar seu número de telefone confiável, para iniciar o processo de alteração de senha, por exemplo.

Alternativamente, se a sua conta Apple iD foi configurada com perguntas de segurança, você pode responder antes de prosseguir.

Há mais duas opções que aparece dependendo da configuração da sua conta. Um deles é uma opção de e-mail familiar, que enviará um e-mail de confirmação para você.

FONTE ORIGINAL

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

Dois megavazamentos de dados em menos de um mês, expondo informações sensíveis e documentos de boa parte da população brasileira, inclusive do presidente da República. 

Pois é, o ano não começou nada mole para a recém-criada ANDP (Autoridade Nacional de Proteção de Dados), que já vem tendo bastante trabalho nos primeiros meses de 2021.

Responsável por apurar de onde e como aconteceram os vazamentos que atingiram mais de 223 milhões de brasileiros somente em um caso, a Autoridade foi criada para atuar como reguladora da Lei Geral de Proteção de Dados.

Porém, as investigações se mostram difíceis e, sem uma conclusão quanto a origem dos vazamentos, profissionais e empresas temem a exposição dos dados e a possibilidade de ataques, golpes e prejuízos.

Ao mesmo tempo, porém, essas mesmas empresas precisam se adequar e aumentar a proteção para atuar no cenário atual do mercado, em que o trabalho remoto vem se expandindo.  

Por isso, adotar mecanismos de controle e segurança cibernética para garantir mais segurança no home office é uma preocupação crescente nas empresas, mas como começar a fazer isso?

Embora seja muito difícil – senão impossível – eliminar todos os riscos, como vimos nos casos dos megavazamentos – algumas dicas de proteção ajudam a evitar ataques e falhas mais comuns. Separamos 5 para você, confira!

4 Dicas para aumentar a Proteção de Dados no Home Office

Enquanto 76% das empresas brasileiras contam com funcionários trabalhando com dispositivos pessoais – um reflexo das necessidades de adaptação durante o período de pandemia – apenas 16% delas investiram mais em Cibersegurança no ano passado.

Os dados são do estudo feito pela Marsh Brasil a pedido da Microsoft, que foi divulgado em 11 de fevereiro de 2021, e mostram o tamanho do desafio para as empresas garantirem uma proteção integrada aos dados.

Nesse cenário, as operações e informações ficam ainda mais sensíveis a possíveis ataques. 

Por isso, investir em práticas e recomendações básicas de cibersegurança é fundamental para que a empresa possa garantir o mínimo de proteção e conscientização dos colaboradores sobre a correta manipulação de informações confidenciais.

Blog Impacta – Dicas e Notícias sobre Carreira 10

Embora não eliminem completamente os riscos, algumas recomendações básicas são eficazes para prevenir as ameaças mais comuns nesse novo ambiente de trabalho remoto. Separamos 4 para você, confira:

1 – Aproveite as vantagens da nuvem

A computação em nuvem transformou a maneira de armazenar e compartilhar documentos e trabalhos no mundo, tornando-se fundamental para possibilitar o trabalho remoto de forma segura e integrada.

Além de facilitar a execução de projetos e tarefas compartilhadas, as soluções em nuvem oferecem boas soluções para proteger as informações e dados das empresas. As grandes fornecedoras estão sempre atualizando os critérios e recursos de segurança.

2 – Use a autenticação de múltiplos fatores

Muitas empresas e soluções digitais, como a própria Microsoft, por exemplo, já utilizam a autenticação de múltiplos fatores como método obrigatório para todas as contas administrativas da companhia. 

Isso porque apenas com essa “medida simples”, já é possível “reduzir em 99,9% os ataques de roubo de identidade”, segundo a gigante. A recomendação ideal é que o método usado seja de um aplicativo autenticador ao invés de SMS ou por voz.

3 – Inteligência Artificial para Monitorar riscos

A Inteligência Artificial para criar automatizações e facilitar tarefas também pode ser muito útil na rotina de segurança da empresa.

Fazendo checagens frequentes de pontos críticos e analisando o comportamento dos usuários, a tecnologia é capaz de detectar e prevenir novos tipos de ataques ou comportamentos anormais.

Com isso, fica mais fácil e efetivo o trabalho de identificação e diminuição de riscos, além de tornar as respostas a possíveis ataques mais ágeis.

4 – Treine os seus colaboradores

Pouco adianta ter uma política de segurança e aplicar soluções de defesa, se os usuários não estiverem engajados e preparados para as boas práticas no uso das informações.

Além da conscientização de todos os times, os treinamentos são fundamentais para formar colaboradores capazes de identificar e lidar com ataques mais comuns.

Oferecer cursos básicos como sobre a LGPD, fazer simulações de ataques e treinar funcionários específicos para lidar com segurança da informação não só garante mais proteção, como aumenta o capital intelectual da empresa.

Quer saber mais sobre Proteção de Dados nas Empresas? Confira o nosso Guia completo sobre tecnologias no auxílio da proteção e segurança de dados

FONTE ORIGINAL

O que fazer quando você esquece a senha do Apple ID

O que fazer quando você esquece a senha do Apple ID

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

A Apple oferece muitas maneiras diferentes de recuperar uma senha perdida do Apple ID, mas elas ficam cada vez mais complicadas até mesmo para recuperar senha iCloud.

Aqui está o que você pode e deve fazer se você esquecer, além disso, se o seu iPhone ou outro dispositivo Apple tenha perdido a senha pode tentar isso.

Olha, só não se esqueça da sua senha do Apple ID, ok? 

Não fique somente com a senha na sua cabeça anote em algum lugar e salva essa senha, pode escrever em post-it ou até mesmo em um gerenciador de senhas seguro.

Seu Apple ID é a chave, em todos os sentidos, para tudo, desde seu iPhone, até iCloud e o seu e-mail. Uma vez que é diferente da senha que você usa para fazer login no seu Mac, no entanto, e como também é diferente da senha que você usa no seu dispositivo iOS que você não digita com muita frequência.

É por isso, que pode ser fácil esquecer. E o grande problema quando acontece algum problema e você precisa, dessa senha você percebe que não lembra da famosa senha.

A Apple tem feito diversas maneiras para tentar facilitar a recuperação da senha do usuário, para facilitar a recuperação da sua senha Apple ID de volta, mas também tem que equilibrar a segurança. Se fosse realmente fácil descobrir uma senha do Apple ID, pessoas desonestas estariam fazendo isso o tempo todo.

Consequentemente, além de várias maneiras de recuperar essa senha, a Apple também oferece diversas maneiras de proteger. Isso é ótimo para manter outras pessoas fora do alcance da senha do seu celular, mas se torna uma complicação quando você também esquece essa senha.

As vezes pode até mesmo ser um endereço de e-mail, mas você pode não se lembrar qual é quando precisar.

Como encontrar seu endereço de e-mail Apple ID

  • No seu dispositivo iOS, abra configurações
  • Toque no seu nome e o endereço de e-mail será listado na parte superior da tela
  • Outra opção no Mac, abra as preferências do sistema
  • Clique no Apple ID à direita do seu nome
  • O endereço de e-mail está listado em seu nome

Isso pressupõe que você esteja logado no dispositivo que está usando. Se você não estiver logado no seu Mac, é provável que esteja no seu iPhone.

Isso porque você desbloqueia o telefone com uma senha específica para esse dispositivo.

Consequentemente, mesmo que você não se lembre qual é a sua senha do Apple ID, você provavelmente conhece a sua senha do iPhone. E você pode usar isso tanto para encontrar seu endereço de e-mail Apple ID, e alterar a senha também.

Como usar a sua senha do iPhone para alterar a sua senha do Apple ID

  1. Vá para Configurações
  2. Toque em seu nome e escolha Senha e Segurança
  3. Selecione Alterar senha
  4. Você será solicitado a inserir a senha do seu iPhone ou iPad
  5. Em seguida, você será solicitado através da alteração da senha do Apple ID

Isso só funciona porque, tendo usado a sua senha, você é autenticado. Há um método semelhante no Mac, assumindo que você sabe a senha para desbloquear a tela.

Como usar sua senha do Mac para alterar seu Apple ID

  1. Vá para Preferências do Sistema
  2. Clique em seu nome
  3. Escolha senha e segurança
  4. Clique em Alterar senha
  5. Quando solicitado, digite a senha de desbloqueio do seu Mac
  6. Defina uma nova senha

Mais uma vez, você é capaz de fazer isso porque você foi autenticado pelo fato de ter logado e conhece a senha de login.

Se você não consegue entrar no seu Mac ou iPhone, porque foi então você pode alterar sua senha de outro dispositivo. Você pode fazer através do navegador no dispositivo de um amigo ou familiar, ou você pode usar o aplicativo de suporte da Apple.

Como alterar sua senha do Apple ID com o aplicativo de suporte da Apple

  1. Nesse outro equipamento baixe o aplicativo de suporte da Apple ‎Suporte da Apple na App Store
  2. O aplicativo abre em uma página sobre o dispositivo iOS do seu amigo no canto superior esquerdo normalmente
  3. Role até a posição Mais Produtos e toque no Apple ID
  4. Toque em Esqueci a Senha do Apple ID
  5. Toque em Iniciar em Redefinir sua senha
  6. Na próxima página, marque um Apple ID diferente
  7. Toque em Continuar
  8. Digite seu Apple ID
  9. Digite seu “número de telefone confiável” para autenticar
  10. Siga as instruções para alterar a sua senha

Note que é importante marcar um Apple ID diferente, ou você vai acabar tentando mudar a do seu amigo em vez do seu. Também mantenha esse amigo por perto para que eles possam digitar sua senha como solicitado.

Mesmo que você tenha feito isso em seu iPhone, usando o aplicativo Apple Support que baixou, nenhum dos seus dados será mantido neste dispositivo que usou para recuperação.

Lembrando o aplicativo Apple Support requer iOS 13 ou posterior.

Se o seu dispositivo for anterior ainda terá o aplicativo Find My iPhone e você pode usar da mesma forma. O aplicativo Apple Support oferece mais opções, principalmente para o seu amigo, mas o Find My iPhone inclui um botão Apple ID ou Password que poderá usar caso esqueça a senha.

Como alterar seu Apple ID usando um navegador

  1. Acesse o site https://iforgot.apple.com/
  2. Se for solicitado automaticamente a sua senha, clique em Cancelar
  3. Clique em Esqueceu Apple ID ou senha
  4. Clique em Continuar com senha
  5. Quando solicitado, digite seu endereço de e-mail do Apple ID e clique em Continuar

O que acontece a seguir depende de como você configurou o seu Apple ID. Você pode ser solicitado a digitar seu número de telefone confiável, para iniciar o processo de alteração de senha, por exemplo.

Alternativamente, se a sua conta Apple iD foi configurada com perguntas de segurança, você pode responder antes de prosseguir.

Há mais duas opções que aparece dependendo da configuração da sua conta. Um deles é uma opção de e-mail familiar, que enviará um e-mail de confirmação para você.

FONTE ORIGINAL