9 Diferenças entre roupas de baixa e alta qualidade que quase nenhum vendedor revela

Créditos:Todos direitos de imagens, vídeos e do texto referente a esse artigo estão no final:

O preço nem sempre é um indicador de qualidade, principalmente quando se trata de comprar roupas. Às vezes, os itens adquiridos em uma loja de departamento podem ser usados ​​por anos enquanto as peças de grife se deterioram após a terceira lavagem. Para evitar cair na armadilha dos fabricantes de vestuário desonestos, é importante conhecer os seus truques. E este post vai te ajudar com isso.

Nós, do Incrível.club, adoramos fazer compras, por isso elaboramos uma lista de critérios para ajudá-lo a distinguir roupas de boa qualidade de peças ruins no momento da compra.

1. Segure o item nas mãos

Ao escolher malhas, foque na sua densidade e no peso. Os especialistas na indústria de vestuário usam o termo “densidade superficial”. Em termos mais simples, isso significa quantos gramas pesa um metro quadrado. Quanto mais alto for o indicador, mais caro será o tecido.

Não é necessário qualquer instrumento especial para medir a densidade da peça. Basta segurar o item em sua mão e sentir. Um material muito fino e leve costuma rasgar e esticar rapidamente nas áreas das articulações. Outra forma de verificar a qualidade é examinar as roupas sob a luz. A translucidez irregular é um sinal de tecido ruim.

2. Observe o forro

As peças de qualidade têm costuras bem feitas. Uma costura malfeita indica que o fabricante decidiu economizar na confecção. Isso não só se aplica à parte externa da peça, mas também ao forro. Para que a roupa vista bem o corpo, o tecido do forro deve ser denso e macio. Se a peça for costurada com tecidos elásticos, como malha ou veludo, o forro também deve ser elástico. Já as peças de tecidos menos flexíveis, como lã e algodão, devem ter um forro desses mesmos materiais.

3. Sinta o tecido

Os tecidos que formam bolinhas estragam a aparência de qualquer roupa. Na maioria das vezes, elas se formam em fibras curtas, materiais sintéticos e em misturas de tecidos sintéticos e naturais. Em primeiro lugar, preste atenção à composição. Quanto mais sintéticos o tecido tiver (poliéster, elastano, acrílico, poliamida e nylon), mais cedo formará bolinhas. Em roupas de lã, as bolinhas aparecem rapidamente e desaparecem por conta própria com o tempo. Para saber se elas aparecerão ou não, basta esfregar intensamente um pedaço de tecido: o material de baixa qualidade começará a formá-las imediatamente.

4. Verifique os bolsos

Alguns blazers, sobretudos e paletós de alta costura costumam ter os bolsos forrados fechados por uma costura fina quando ainda estão nas lojas. Isso é feito para garantir que a peça se manterá íntegra enquanto estiver na loja e para que os bolsos não se descosturem depois de várias pessoas terem provado essa roupa.

5. Passe um lenço umedecido

As roupas mal tingidas, especialmente os jeans, arruinarão não apenas as peças que encostarem nelas, mas também sua pele. Se suar um pouco ou se molhar na chuva, você acabará manchado de azul. Para evitar que isso aconteça, verifique com antecedência se o tecido soltará ou não tinta: pegue um lenço umedecido e esfregue-o no tecido. Se manchar o lenço, a peça solta tinta.

6. Atente-se aos detalhes

Detalhes baratos são uma forma de o fabricante economizar. Botão, zíper e fecho de plástico ou tingidos como se fossem metal denunciam a má qualidade do vestuário. Uma roupa bem feita deve ter o zíper que fecha sem problemas. Em calças, saias e vestidos de qualidade, os zíperes geralmente são ocultos ou cobertos com uma pequena barra que os protege de danos. Já os botões devem ser bem costurados. As peças de qualidade ainda costumam ter um botão de reserva (geralmente costurado diretamente na etiqueta da roupa). Os botões de plástico não podem ser muito finos e devem combinar com a tonalidade do tecido.

7. Sinta o cheiro

Já notou que em certas lojas de departamento e especialmente nos brechós, algumas peças têm um cheiro específico? Isso é formaldeído, um gás orgânico de odor intenso e desagradável. Ele é utilizado para desinfetar a roupa e prevenir o aparecimento de mofo. Em grandes quantidades, esse gás é perigoso e causa alergias. Mas não é preciso se preocupar, já que ele desaparece após algumas lavagens. Por isso, as roupas não devem ser apenas tocadas e medidas, mas também cheiradas. Os itens de qualidade não devem ter um odor muito forte. Eles geralmente têm um cheiro neutro ou são levemente perfumados.

8. Confira as costuras

Depois de sentir a roupa, olhá-la sob a luz e cheirá-la, é hora de vesti-la. Se as pernas das calças ou jeans estiverem torcidas ou a costura abaixo do joelho for irregular, esse é um sinal de que a peça deveria ter sido descartada pelo próprio fabricante. Esse problema aparece quando o corte ou a costura foram feitos de forma incorreta. Isso não só traz desconforto, como também deixa as pernas visualmente tortas. Contudo, pode ser resolvido com a ajuda de costureiros. Mas o ideal, claro, é notar o problema na própria loja e não comprar.

9. Como descobrir o material

Às vezes, um fabricante apresenta informações falsas sobre a composição do produto. Nesse caso, em vez de uma peça 100% algodão, você pode estar levando uma mistura de algodão e poliéster. Para ter certeza, não é necessário levar o produto a um profissional para ser examinado. Isso pode ser feito diretamente da sua casa.

Pegue um pedacinho do tecido (em algumas roupas, uma amostra do tecido vem junto com o botão reserva) ou puxe com cuidado algum fio da roupa e, com muita cautela, queime-o.

  • Linho e algodão queimam da mesma forma. Eles têm um alto percentual de celulose, por isso, ao pôr fogo, o tecido cheira a papel queimado. As fibras queimam com brilho e rapidez, formando uma pequena quantidade de fumaça branca.
  • viscose é feita de madeira natural por um método químico. Ela queima rapidamente, cheira a papel queimado e forma fumaça cinzenta e cinzas.
  • Lã e seda cheiram a cabelo queimado ou a penas. Elas queimam lentamente e suas fibras se enrolam e se apagam rapidamente.
  • O acrílico queima com uma chama amarela brilhante com pequenas faíscas. Após o resfriamento, forma-se uma bola densa.
  • As fibras sintéticas queimam com uma chama amarela com um cheiro forte de vinagre.
  • O lavsan artificial queima com uma leve cor amarela, liberando fuligem preta. Após a combustão, forma-se uma densa bola negra.

Como você deve imaginar, não é recomendado realizar esses testes nas lojas. O ideal é fazer com segurança em um local aberto.

Que critérios você utiliza para escolher a sua roupa?

FONTE ORIGINAL

Veja esses também

Nenhum comentário ainda, adicionar a sua voz abaixo!


Adicionar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *